Inquérito

Estudante não responderá por aborto de babá porque não sabia que ela estava grávida

Ele não responderá pelo aborto de Roseane Maria de Brito porque não há tipificação na legislação para o caso

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 05/12/2017 às 13:31
Leitura:

Imagem

O delegado Paulo Jean, que investiga do caso da colisão entre dois carros que acabou na morte de três pessoas na Tamarineira, encaminhou o inquérito ao Ministério Público na manhã desta terça-feira (5) e indiciou o estudante João Victor Ribeiro Leal, de 25 anos, por triplo homicídio doloso, pois ele assumiu o risco de matar ao beber e dirigir em alta velocidade, e lesão corporal dupla grave, já que o advogado e a filha dele, Marcela, de 5 anos, permanecem internados. No último dia 26 de novembro, joão Victor dirigia embriagado quando colidiu com outro veículo e provocou a morte de três pessoas, entre elas uma jovem de 23 anos que estava grávida. No entanto, ele não deve responder pelo aborto, já que não sabia que ela estava grávida e não há tipificação na legislação para o caso.

Roseane Maria de Brito era babá dos filhos da advogada Maria Emília Guimarães, de 39 anos, e também morreu em decorrência da colisão. O filho dela, de apenas 3 anos de idade, também morreu em decorrência dos ferimentos causados pela colisão entre os veículos.

Caso seja condenado, João Victor pode pegar até 70 anos de prisão.

Prisão

João Victor está preso preventivamente no Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife. A Justiça negou pedido inicial de seu advogado para que ele trocasse o presídio por uma clínica de tratamento para pessoas com dependência química. A família afirma que ele já foi internado duas vezes, em 2014 e 2016.

Amigo que prestou depoimento à polícia informou que eles beberam um litro de uísque em uma hora e Victor ficou passando mal, instantes antes do acidente, por volta das 19h30. Ele teria sido deixado pelos amigos dormindo no carro, com a chave na ignição para que o ar-condicionado ficasse ligado. Em alta velocidade, Victor avançou o sinal vermelho, no cruzamento da Avenida Rosa e Silva com Rua Cônego Barata, atingindo a lateral do carro da família Motta Silveira.

*Com informações do JC Online

Mais Lidas