Política

Bolsonaro volta atrás após falar de carta branca para PM matar

O deputado Jair Bolsonaro reformulou a frase após receber uma série de críticas de vários setores da sociedade civil

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 15/12/2017 às 15:19
Leitura:

Imagem

Um dia depois de fazer declarações polêmicas sobre suas visões para a área de segurança pública, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) voltou atrás em sua fala. Nessa quinta-feira (14), o parlamentar disse, durante um evento na capital do Amazonas, Manaus, que daria "carta branca" para Policiais Militares matarem. No entanto, nesta sexta-feira (15), Bolsonaro disse que a autorização seria apenas para o policial "não morrer".

"Eu não quero dar carta branca pro policial matar, eu quero dar carta branca pro policial não morrer. E, se para não morrer, tem de matar, que faça o seu serviço", disse o deputado, que é pré-candidato à Presidência da República em 2018 e aparece no segundo lugar das pesquisas de intenção de voto, na casa dos 15%, ficando atrás do ex-presidente Lula (PT), que soma, em média, 35% das intenções, segundo os levantamentos mais recentes.

Direitos Humanos

Ainda nesta sexta, de acordo com informações do jornal Gazeta do Povo, Bolsonaro disse em entrevista a uma rádio do interior do Amazonas que não dá para conciliar o combate à violência com o respeito aos direitos humanos: "Não dá pra fazer política de combate à violência, de segurança pública, tendo ao lado direitos humanos. Ou achar que todo mundo deve ser tratado igualmente mesmo quando está fazendo a coisa errada".

As novas declarações do deputado aparecem depois que ele recebeu uma série de críticas de setores da sociedade civil e grupos políticos.

Mais Lidas