ACIDENTE

Sem dinheiro para comprar gás, dona de casa usa álcool e é vítima de explosão

O coordenador do setor de queimados do HR mostrou preocupação com o aumento de acidentes causados pela substituição do gás de cozinha por outros produtos

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 19/12/2017 às 15:02
Leitura:

Imagem

Permanece internada no Hospital da Restauração, no bairro do Derby, na área central do Recife, a dona de casa que teve parte do corpo queimado depois de uma explosão provocada por álcool na casa em que mora, em Jaboatão dos Guararapes. Jaidete Gomes da Silva, de 54 anos, teve cerca de 45% do corpo queimado.

O acidente aconteceu na tarde desta segunda-feira (18) enquanto Jaidete preparava o almoço, no bairro de Vila Rica, e as chamas atingiram rosto, braços, tórax e parte das pernas dela. Ela foi socorrida por moradores e levada para a UPA de Engenho Velho, e encaminhada para o Hospital da Restauração.

O chefe do setor de queimados do HR, marcos barreto, fala sobre o incidente. “Ela teve uma queimadura extensa. Ela me disse que quando acendeu o fogareiro estava com as mãos molhadas de álcool”, relatou.

Aumento do preço

Os sucessivos aumentos no preço do gás de cozinha têm sido apontado como causa de vários casos de queimaduras nos últimos meses. Só este ano, o valor do produto sofreu seis reajustes. A procura por um substituto mais barato, a população acaba colocando a própria vida em risco.

No lugar do gás, a dona de casa usava álcool para cozinhar. Entre os atendimentos por queimadura realizados no HR, 60% estão relacionados ao uso de álcool ou gás clandestino. O médico Marcos Barreto fala sobre a relação dos acidentes com o aumento do preço do produto. “As pessoas estão chegando aqui, muito queimadas, donas de casa e que eles dizem que não cozinham com o gás porque não têm dinheiro para comprar e estão comprando o álcool, combustível, no posto para poder cozinhar”, lamentou o médico.

Ouça os detalhes na reportagem de Rafael Carneiro:

Jaidete passou por cirurgia no final da manhã desta terça-feira, e ainda não há previsão de alta.

Mais Lidas