FEMINICÍDIO

Namorado de Remís Carla é preso e confessa assassinato de estudante

Remís Carla da Costa estava desaparecida desde o último domingo. Corpo da universitária foi encontrado atrás da casa do suspeito

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 23/12/2017 às 21:30
Leitura:

Imagem

A Secretaria de Defesa Social (SDS) confirmou que o corpo encontrado na tarde deste sábado (23), num loteamento na Zona Oeste do Recife, é da estudante Remís Carla Costa, de 24 anos. O namorado da vítima, Paulo César de Oliveira, de 24 anos, foi preso. Segundo nota divulgada pela SDS, ele confessou o crime.

Corpo é encontrado atrás da casa do namorado de estudante desaparecida
Polícia ouve namorado de estudante de pedagogia desaparecida

Os detalhes do caso serão apresentados às 10h deste domingo (24), no DHPP, no bairro do Cordeiro. O Chefe da Polícia Civil, Delegado Joselito Kehrle, o Diretor de Polícia Especializada, Delegado Luís Andrey, e o Gestor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Delegado Ivaldo Pereira, falarão sobre caso.

"Estou aliviado. Agora está nas mãos da Justiça e de Deus", disse o pai da estudante, José Carlos Costa, aos prantos logo depois que a SDS confirmou que o corpo era da estudante ainda no Instituto de Medicina Legal (IML) em Santo Amaro. A família ficou aguardando no IML o resultado dos exames.

Homem mata adolescente de 15 anos com quem mantinha relacionamento

Diarista de 49 anos é decapitada em Barra de Jangada

Os detalhes da prisão não foram passados pela SDS. Segundo a assessoria de imprensa da SDS, inicialmente, Paulo César foi autuado por ocultação de cadáver. Em depoimento, ele confessou o crime.

O reconhecimento do corpo foi feito após comparação das digitais do corpo com o banco de dados do Instituto Tavares Buril. O corpo de Remís foi localizado enterrado no mesmo loteamento onde o namorado dela mora. O corpo foi localizado a cerca de 400 metros da casa onde reside o namorado dela, Paulo César de Oliveira, também de 24 anos, suspeito do desaparecimento de Remís.

Martha Gois, diretora do berçário nas Graças, Zona Norte do Recife, onde Remís estagiava disse que a estudante de pedagogia era muito tímida e reservada, mas sempre sorridente e muito responsável. "Ela nunca faltou ao trabalho. Tanto que estranhamos quando ela não apareceu para trabalhar na segunda". Martha conta que toda a equipe ficou abalada com o desaparecimento de Remís, que aconteceu na última semana de funcionamento do berçário antes do recesso de fim de ano. "Passamos a semana muito apreensivos, trabalhando com profissionalismo, mas arrasados. Cancelamos até o evento de encerramento porque não tinha clima para comemoração".

Réu confesso

Nessa sexta-feira (22), o ex-namorado da estudante de pedagogia Remis Carla Costa, de 24 anos, compartilhou uma foto sobre o desaparecimento da jovem em suas redes sociais. Paulo César de Oliveira, que também tem 24 anos, namorado ada jovem, foi preso pela Polícia Civil neste sábado (23). Segundo nota da SDS, ele confessou o crime. Na início da noite, a Secretaria de Defesa Social (SDS) confirmou que o corpo encontrado em um terreno da Zona Oeste do Recife, à tarde, é o da estudante.

No perfil do Facebook dele, há uma publicação pedindo informações sobre o desaparecimento de Remís. Com a prisão do pedreiro, pessoas estão comentando na publicação e chegam a pedir justiça. Comentários como "criminoso" e "bandido" vêm aumentando.

Relembre o caso

Imagem

Remís Carla Costa desapareceu no último domingo (17), após sair da casa do namorado, Paulo Cesar de Oliveira. De acordo com a família da jovem, a garota e o rapaz discutiram naquele dia, dentro da casa dele, no bairro de Nova Morada. Remís teria saído da residência de Paulo, sem dizer onde iria. O último contato com os familiares e amigos foi também no domingo, por meio de mensagens em redes sociais.

Em depoimento à polícia, o namorado negou agressões à jovem. Durante seis horas, Paulo continuou afirmando que, após a briga na tarde do domingo, ele não teve mais informações da namorada.

Em novembro, a jovem denunciou Paulo na Delegacia da Mulher, por agressão, injúria e ameaça. Remís chegou a receber uma medida protetiva, mas, segundo a Polícia, Paulo não foi encontrado para assinar a notificação. Ela se afastou dele, mas voltaram a se aproximar no último dia 14.

FEMINICÍDIO

É uma tipificação do crime de homicídio qualificado e se caracteriza pelo assassinato de uma mulher pelo fato dela ser mulher, em decorrência da violência doméstica, ou pela dominação do homem sobre a mulher. Em última instância, o feminicídio significa o controle sobre a vida e a morte.

A pena para um crime de homicídio é de 6 a 20 anos. No caso do homicídio qualificado, incluindo o feminicídio, a pena vai de 12 a 30 anos. A pena é aumentada em até um terço, se for cometido na frente de menores de 14 anos.

*Com informações do JC Online

Mais Lidas