TRISTEZA

Minha filha sofreu muito, diz pai de universitária morta pelo namorado

Pai de Remís Carla contou que o companheiro da estudante não aparentava ser agressivo. Universitária foi encontrada morta atrás da casa do namorado

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 25/12/2017 às 10:19
Leitura:

Imagem

O técnico de enfermagem, José Carlos Costa, esteve na manhã deste domingo (24), véspera de Natal, no Instituto Médico Legal (IML), em Santo Amaro, para buscar a certidão de óbito da filha de 24 anos, Remís Carla. "Minha filha sofreu muito, era uma mulher batalhadora, independente", desabafou. Segundo a Polícia Civil, a jovem foi assassinada pelo ex-namorado, o pedreiro Paulo César de Oliveira, de 25 anos, preso após confessar o homicídio. O funeral está marcado para a manhã deste domingo (24) e por causa do estado avançado de decomposição do corpo não haverá velório.

Emocionado, José contou que o ex-companheiro da estudante não apresentava comportamentos agressivos. "Ele chegou a morar um tempo conosco, demos muita confiança para ele nunca aparentou que agredia. Mas ela sofria calada, era uma mulher com um futuro brilhante", desabafou.

Homem mata adolescente de 15 anos com quem mantinha relacionamento
Feminicídio: homem mata mulher a facadas após descobrir traição
Diarista de 49 anos é decapitada em Barra de Jangada

José ainda afirmou que, só após o desaparecimento da filha, começou a aparecer indícios de agressão do ex-companheiro. "Só depois que Remís desapareceu, ficamos sabendo do cárcere privado, das agressões, que ele chegou até a quebrar o celular" disse.

Em novembro, a jovem denunciou Paulo à Delegacia da Mulher, por agressão, injúria e ameaça. Remís chegou a receber uma medida protetiva, mas, segundo a Polícia, Paulo não foi encontrado para assinar a notificação. Ela se afastou dele, mas voltaram a se aproximar no último dia 14.

A jovem estava desaparecida desde o último domingo (17), quando foi vista pela última vez na casa do ex-namorado no bairro de Caxangá, Zona Oeste do Recife.

Relembre o caso

Remís Carla Costa desapareceu no último domingo (17), após sair da casa do ex-namorado, Paulo Cesar de Oliveira. De acordo com a família da jovem, a garota e o rapaz discutiram naquele dia, dentro da casa dele, no loteamento Nova Morada. Remís teria saído da residência de Paulo, sem dizer onde iria. O último contato com os familiares e amigos foi também no domingo, por meio de mensagens em redes sociais.

Em depoimento à polícia, o ex-namorado negou agressões à jovem. Durante seis horas, Paulo continuou afirmando que, após a briga na tarde do domingo, ele não teve mais informações da namorada.

FEMINICÍDIO

É uma tipificação do crime de homicídio qualificado e se caracteriza pelo assassinato de uma mulher pelo fato dela ser mulher, em decorrência da violência doméstica, ou pela dominação do homem sobre a mulher. Em última instância, o feminicídio significa o controle sobre a vida e a morte.

A pena para um crime de homicídio é de 6 a 20 anos. No caso do homicídio qualificado, incluindo o feminicídio, a pena vai de 12 a 30 anos. A pena é aumentada em até um terço, se for cometido na frente de menores de 14 anos.

*Com informações do JC Online

Mais Lidas