FEMINICÍDIO

Amigos de Remís formalizam denúncia contra investigação da polícia

Os amigos de Remís Carla, morta pelo namorado, afirmam que houve negligência da polícia desde o momento em que a jovem prestou queixa contra o acusado

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 26/12/2017 às 17:58
Leitura:

Imagem

Os amigos da estudante de pedagogia Remís Carla da Costa, de 24 anos, foram à Delegacia da Mulher, no bairro de Santo Amaro, na área central do Recife, na tarde desta terça-feira (26) para conversar com a delegada Julieta Japiassu. Segundo eles, houve negligência, desde que a jovem prestou um boletim de ocorrência no último dia 23 de novembro contra o namorado, o pedreiro Paulo César de Oliveira, de 25 anos, acusado de matar a jovem.

Tainá Peixoto, que faz parte de um movimento feminino popular que Remís fazia parte, explicou o motivo da ida até a delegacia. “A gente veio acompanhar Jessica e Marcos, que vieram aqui na Delegacia da Mulher mais uma vez depor sobre a situação de Remís em especial a situação da denúncia que ela tinha feito na Delegacia da Mulher e que nada foi feito”, contou. “Eles estão colocando que Remís foi notificada sobre a medida protetiva, mas ela não foi notificada dessa medida protetiva da primeira denúncia que ela fez contra Paulo César”, completou.

Segundo Tainá, o intuito também é criticar o trabalho da polícia durante as buscas pela garota.

Ouça os detalhes no flash de Micael Carvalho:

Relembre o caso

Remís Carla Costa desapareceu no domingo (17), após sair da casa do ex-namorado, Paulo Cesar de Oliveira. De acordo com a família da jovem, a garota e o rapaz discutiram naquele dia, dentro da casa dele, no loteamento Nova Morada.

Remís teria saído da residência de Paulo sem dizer onde iria. O último contato com os familiares e amigos foi também no domingo, por meio de mensagens em redes sociais. Em depoimento à polícia, o ex-namorado negou agressões à jovem.

Em novembro, a jovem denunciou Paulo à Delegacia da Mulher, por agressão, injúria e ameaça. Remís chegou a receber uma medida protetiva, mas, segundo a Polícia, Paulo não foi encontrado para assinar a notificação. Ela se afastou dele, mas voltaram a se aproximar no último dia 14.

Durante seis horas, Paulo continuou afirmando que, após a briga na tarde do domingo, ele não teve mais informações da namorada.

O corpo de Remís só foi encontrado neste sábado (23), em uma cova rasa cavada numa área perto da residência de Paulo César. Ela foi sepultada no domingo (24), no Cemitério Campo Santo, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife.

Mais Lidas