ACIDENTE TAMARINEIRA

Emoção marca a missa em memória das vítimas do acidente da Tamarineira

A celebração da missa marca os 30 dias do falecimento das vítimas fatais do acidente ocorrido no dia 26 de novembro

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 26/12/2017 às 20:56
Leitura:

Imagem

Familiares e amigos das vítimas do acidente que chocou os recifenses no dia 26 (domingo) de novembro se reuniram para a missa que marcou os 30 dias do ocorrido. Eles lembraram a morte de Maria Emília Guimarães, servidora do Tribunal de Justiça de Pernambuco e do filho dela, Miguel Arruda Mota Silveira Neto de quatro anos. A homenagem ocorreu na igreja do Colégio Damas, na Zona Norte do Recife. "É um momento de muita tristeza eu conheço os pais da menina (se refere a Emília), da que faleceu. [...] Eu fiquei arrasada foi horrível, eu me emociono até em falar", desabafa a amiga da família, a professora aposentada Zélia de Almeida Lins. A babá da família Roseane Maria de Brito Souza (23), que estava grávida de três meses, também morreu no acidente.

Mais detalhes com o repórter Thales Kírion:

Sobreviveram o marido de Maria Emília, o advogado Miguel Arruda Mota Silveira Filho e a filha Marcela Guimarães Mota Silveira, de sete anos, que ainda segue internada em um hospital particular do Recife. Após a missa a família optou por sair sem falar com a imprensa, confira no vídeo abaixo

Imprudência ao volante resultou no acidente

O acidente aconteceu no cruzamento da Rua Cônego Barata com a Estrada do Arraial. João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, de 25 anos, ultrapassou o sinal vermelho enquanto dirigia com nível de álcool três vezes acima do permitido no sangue. “O fusion avançou o sinal vermelho e pegou o carro Toyota que estava com a família. Eu acho que ele estava a mais de 100km por hora, ele vinha muito rápido mesmo”, narrou uma das testemunhas Rodrigo Santos.

Leia Também:

» Motorista que matou duas pessoas em acidente tem histórico de imprudências no trânsito

» Morre criança de 3 anos, vítima de acidente na Tamarineira

Ele segue preso preventivamente no Centro de Triagem e Observação Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife.

Mais Lidas