INVESTIGAÇÃO

Delegada descarta consentimento de mães em estupro de filhas pelo pai

Uma das filhas do trabalhador rural de 53 anos, uma menina de 12 anos, chegou a engravidar após os estupros do pai e passou por um aborto legal

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 27/12/2017 às 17:25
Leitura:

Imagem

A delegada titular da Delegacia de Limoeiro, Maria Betânia, ouviu as mães das garotas estupradas pelo próprio pai nesta quarta-feira (27) e descartou o consentimento das mulheres no crime. Uma das meninas, de 12 anos, chegou a engravidar e foi submetida a um aborto legal no Hospital da Mulher do Recife.

Segundo a delegada, a polícia investiga se uma das filhas, de seis anos, teria sido violentada pelo pai. Ela afirmou que todo o apoio psicológico está sendo prestado às vítimas.

Família hostilizada

De acordo com a delegada Maria Betânia, a família está sendo hostilizada pelos vizinhos. "É uma coisa que é inadmissível. Só existe um único culpado (...) Toda uma família se desestrutura por conta da conduta de um", disse.

A delegada recriminou a atitude dessas pessoas que estão agredindo as vítimas e disse que elas podem ser penalizadas. "Elas não são acusadas de nada, elas são vítimas de abuso sexual", afirmou a delegada. "A de 22 anos foi uma heroína de ter salvo as duas irmãs", completou.

Ouça a entrevista completa com a delegada:

Relembre o caso

O trabalhador rural de 53 anos, que é acusado de abusar sexualmente das filhas, foi interrogado pela Polícia Civil na tarde
desta terça-feira (26) e foi confirmado que o homem abusou de três filhas. A delegada Maria Betânia pediu o exame sexológico para uma outra filha do homem, uma menina de 6 anos.

O pai das vítimas foi preso nesta segunda-feira (25) pelo estupro da filha de 12 anos. As jovens de 22 e 21 anos são filhas da mesma mãe e a menina que chegou a engravidar do pai é fruto de um outro relacionamento do abusador.

O estupro foi denunciado pela filha de 22 anos, que também foi violentada quando criança por ele. Ela decidiu prestar queixa após descobrir que a irmã de apenas 12 anos estava grávida do pai. As identidades dos envolvidos não foram reveladas para preservar a menor.

Mais Lidas