FEMINICÍDIO

Amigos de Remís realizam ato na UFPE em memória à estudante

Remís Carla Costa, de 24 anos, foi assassinada pelo namorado na semana passada; a garota foi mais uma vítima do crime de feminicídio em Pernambuco

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 28/12/2017 às 17:00
Leitura:

Imagem

Os amigos da estudante de pedagogia Remís Carla Costa, de 24 anos, assassinada pelo namorado na semana passada, realizaram um ato no Centro de Educação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em memória à universitária. O ato foi intitulado de “Vivas nos queremos: Remís presente”.

Na movimentação pacífica, o grupo levou cartazes com frases de protesto contra o crime de femicídio e discutiu o aumento no número de crimes dessa natureza. Eles fazem um apelo para que o caso de Remís não seja esquecido pelos governantes.

A professora Isabela Marques, era conhecida da jovem, e aproveita a ocasião para apontar falhas na atuação da Polícia Civil no caso de Remís. “É uma forma de denunciar não só a inoperância do Estado, mas a forma como o Estado se utilizou da mídia para culpabilização da vítima, como sempre ocorre”, disse, em referência ao pronunciamento do chefe da Polícia Civil, Joselito Amaral. Em coletiva, Joselito disse que “Remís foi ao encontro da morte” por ter ido até a casa do namorado.

Confira os detalhes no flash de Juliana Oliveira:

Relembre o caso

Imagem

Remís Carla Costa desapareceu no último domingo (17), após sair da casa do namorado, Paulo César de Oliveira. De acordo com a família da jovem, a garota e o rapaz discutiram naquele dia, dentro da casa dele, no bairro de Nova Morada. Remís teria saído da residência de Paulo, sem dizer onde iria. O último contato com os familiares e amigos foi também no domingo, por meio de mensagens em redes sociais.

Em depoimento à polícia, o namorado negou agressões à jovem. Durante seis horas, Paulo continuou afirmando que, após a briga na tarde do domingo, ele não teve mais informações da namorada.

Em novembro, a jovem denunciou Paulo na Delegacia da Mulher, por agressão, injúria e ameaça. Remís chegou a receber
uma medida protetiva, mas, segundo a Polícia, Paulo não foi encontrado para assinar a notificação. Ela se afastou dele, mas
voltaram a se aproximar no último dia 14.

O corpo de Remís só foi encontrado neste sábado (23), em uma cova rasa cavada numa área perto da residência de Paulo
César. Ela foi sepultada no domingo (24), no Cemitério Campo Santo, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife.

Mais Lidas