Interior

Polícia descarta abuso sexual de criança sequestrada em Panelas

A criança estava desaparecida desde a véspera de Natal, quando dois homens chegaram à casa onde ela mora com os pais e a sequestraram

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 28/12/2017 às 14:35
Leitura:

Imagem

Uma coletiva de imprensa realizada na manhã desta quinta feira (28) na Secretaria de Defesa Social, no Recife, apresentou o andamento das investigações do sequestro da criança de três anos que aconteceu no municipio de Panelas, no Agreste de Pernambuco.

De acordo com o laudo do Instituto de Medicina Legal (IML) de Caruaru, a menina não sofreu violencia sexual, mas apresentava pelo corpo sinais de descuidos. Ela foi encontrada bastante assustada em via pública na cidade de Catende, na Mata Sul, na tarde da ultima quarta feira (27). A garota passou por exames e foi encaminhada ao Conselho Tutelar do municipio de Lajedo, segundo informou sandra santos, chefe da Polícia Científica.

Entenda o caso:

A garota havia sido sequestrada no domingo (24), véspera de Natal, dentro da casa da mãe dela. Segundo a Polícia Militar, três homens chegaram à residência da vítima, pediram água e, em seguida, levaram a criança. Ainda segundo a PM, a mãe tentou evitar que a filha fosse levada, mas foi ameaçada com uma arma de fogo. Um dos suspeitos seria vizinho da família. O secretario executivo de defesa social, Humberto Freire, afirmou que o carro foi usado pelo trio para levar a criança já foi localizado e apreendido.

O vizinho suspeito de participar do crime foi ouvido e teve prisão temporaria decretada. Entre os suspeitos estão um presidiário da Unidade Prisional de Pesqueira e que alega ser o pai biológico da vítima, além de duas mulheres que, de acordo com a polícia, teriam abandonado a menina. Não está descartada a possibilidade de outras pessoas estarem envolvidas no sequestro.

A polícia trabalha com várias linhas de investigação e não descarta a possibilidade do crime ter sido motivado por desavenças familiar.

Os suspeitos de cometer o crime podem responder por arrebatamento e cárcere privado de incapaz.

Mais Lidas