VIOLÊNCIA SEXUAL

IC faz perícia em apartamento de jovem vítima de estupro em Olinda

O estupro aconteceu na noite do domingo (31) e a jovem estava sozinha em casa quando teve a residência invadida pelo agressor, que não foi identificado

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 02/01/2018 às 14:38
Leitura:

Imagem

O ano novo foi traumático para uma jovem de 19 anos, vítima de estupro, na noite do último domingo (31). A mulher estava em casa sozinha, em um endereço no bairro de Jardim Fragoso, Olinda, quando foi surpreendida por um homem ainda não identificado armado de faca. Na investida, ele estuprou a vítima e levou pertences do imóvel.

A delegada da Conceição Tavares, titular da Delegacia do Janga, foi designada para investigar o caso. Há a suspeita de que o criminoso tenha levado uma arma do marido da jovem, um militar do exército, que estava de serviço no momento do crime.

Na manhã desta terça-feira (2), peritos do Instituto de Criminalística coletaram impressões digitais, na cena do crime. De acordo com a Polícia Civil, o criminoso teria entrado no imóvel pelo buraco do ar-condicionado, informação não confirmada pelo Instituto de Criminalística.

Confira os detalhes na reportagem de Rafael Carneiro:

Medo na rua

Nas proximidades do endereço, vizinhos reclamam de outros episódios de invasão de casas e da insegurança. A pensionista Mirtes Nunes lembra do susto vivido por ela e as filhas recentemente. “Eu cheguei com minhas filhas, só tinha mulher em casa e eu acho que ele já vinha observando há muito tempo isso. Eu vi a cortina balançando e eu tinha certeza que tinha deixado a janela (...) Quando fechei a janela de novo eu ouvi um barulho e disse ‘tem alguém aqui’”, contou.

Em frente ao endereço da vítima fica localizada a Praça Norma Coelho, que para muitos é abandonada e reúne usuários de drogas. Silva Maranhão, aposentada, reclama da falta de policiamento. “Pegaram já vários celulares aqui na rua”, denunciou.

Em resposta às reclamações dos vizinhos a polícia militar informa que a segurança é realizada por meio de rondas do 1º Batalhão de Polícia Militar com apoio do Grupo Tático Itinerante (Gati) e de duas equipes em motocicletas e promete reforçar abordagens no local.

Mais Lidas