Moradores de Olinda afirmam estar há 22 dias sem coleta de lixo

De acordo com os olindenses, as áreas mais afetadas são os subúrbios da cidade. A coleta de lixo foi suspensa após fim de contrato com a empresa Cael

LIMPEZA URBANA

Rádio Jornal

Imagem

Em Olinda, a falta de coleta de lixo está prejudicando, em especial, moradores de bairros como Peixinhos, Aguazinha, Vila Popular, Jardim Brasil, Ouro Preto e Caixa D'água, no subúrbio da cidade. Circulando por essas localidades, a Rádio Jornal encontrou muito lixo, entulho e reclamações contra a Prefeitura da Cidade. Saiba mais na reportagem de Rafael Carneiro:

[uolmais_audio 16375419]

De acordo com os entrevistados, a situação se agravou em dezembro, quando chegou ao fim o contrato da Prefeitura com a empresa Cael, responsável pela coleta do lixo. Na Rua Garanhuns, em Jardim Brasil I, não tem nem espaço para os carros passarem. O aposentado Nelson Raimundo, a situação é antiga. "Isso é uma dificuldade muito grande desde a gestão passada. O atual prefeito fez uma caminhada aqui há uns três meses e disse que a situação ia melhorar e até agora nada", reclama. "Tem um monte de lixo aqui que dá mais ou menos umas cinco caçambas com bicho morto, tripa, ratos e baratas", diz.

A dona de casa Valéria Napoleão afirma que não consegue nem estender uma roupa no varal por causa da quantidade de moscas. "Barata, mosca, ratos. Não tem condições de preparar uma refeição com o mau cheiro", diz. "É uma questão de saúde pública", afirma.

Resposta

Procurada, a Prefeitura de Olinda se pronunciou por meio de nota assinada pela Secretaria de Serviços Públicos. De acordo com o texto, nega que o problema tenha duração de 22 dias, afirmando que o contrato acabou no dia 29 de dezembro de 2017. Ainda de acordo com a secretaria, desde o último sábado (30/12), um contrato emergencial com uma nova empresa, que realizará os serviços relacionado à limpeza urbana no município. Com a saída do consórcio Trópicos Cael, a Locar está realizando um mutirão para regularizar a coleta de lixo na cidade.

Em nota, a Prefeitura de Olinda informou que, com o contrato emergencial, o serviço de coleta de lixo passa a contar com 15 compactadores ante 8 oferecidos anteriormente. Também serão colocados nas ruas dois caminhões 'poliguindastes' que recolhem resíduos depositados em caixas coletoras, além de seis caçambas para recolhimento do lixo volumoso, como metralhas, móveis e pneus. Duas máquinas retroescavadeiras, que colocam o lixo dentro das caçambas também farão parte do reforço na coleta de resíduos.

De acordo com a Prefeitura, a coleta de lixo domiciliar é realizada diariamente e os horários são definidos de acordo com cada bairro. Por dia, são coletadas em Olinda, em média, de 12 a 13 mil toneladas de lixo.

Confira a nota na íntegra:

A Secretaria de Serviços Públicos de Olinda esclarece que desde o último sábado, dia 30 de dezembro, entrou em vigor um contrato emergencial com uma nova empresa que realizará os serviços relacionados à limpeza urbana do município. Com a saída do Consórcio Trópicos Cael, a Locar está realizando um mutirão para atender a demanda que estava reprimida no tocante à coleta de lixo. A partir do novo contrato, o serviço de coleta de lixo passa a contar com 15 compactadores, contra oito oferecidos anteriormente. Até o dia 12, inclusive, haverá um reforço nesse tipo de veículo, chegando a 21 para regularizar a coleta domiciliar na cidade. Além desses, existem mais dois caminhões 'poliguindastes' que recolhemos resíduos depositados em caixas coletoras instaladas pontos estratégicos. Há ainda seis caçambas para recolhimento do lixo volumoso, como metralhas, móveis, pneus, entre outros. Duas máquinas retroescavadeiras, que colocam o lixo dentro das caçambas, completam o conjunto de máquinas usadas no recolhimento dos resíduos gerados pela limpeza urbana da cidade.

*Com informações do JC Online

TAGS

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

CONTINUE LENDO