RECUPERAÇÃO

Próximas 48h serão cruciais para sobrevivente de queda do Globocop


Globocop caiu na manhã desta terça-feira (23) e deixou duas pessoas mortas; Miguel Brendo, 21, sobreviveu, mas seu estado é gravíssimo

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 23/01/2018 às 16:48
Leitura:

Imagem

As próximas 48 horas serão cruciais para o operador de sistemas Miguel Brendo Pontes Simões, de 21 anos, que sobreviveu à queda do Globocop na manhã desta terça-feira (23). Ele passou por procedimentos cirúrgicos que durou cerca de cinco horas no Hospital da Restauração (HR), na área central do Recife.

De acordo com a equipe médica do hospital, o estado de saúde dele é gravíssimo. Ele passou por três cirurgias porque quebrou a perna direita, a mandíbula, sofreu uma lesão grave no abdômen e perdeu o baço.

O cirurgião-geral do HR, Rogério Ehrhardt, disse que o paciente recebeu todos os procedimentos emergenciais que precisavam ser realizados. “Ele vai precisar de novos procedimentos cirúrgicos, posteriormente. No momento ele encontra-se na UTI para estabilizar o seu quadro e realização de outros exames”, explicou.

Leia também

Seripa apura causa do acidente que derrubou Globocop

Filho do dono do helicóptero que caiu no Recife trabalhava na aeronave

Confira os detalhes na reportagem de Marcela Maranhão:

Pai de vítima

O comandante Wagner Monteiro, um dos sócios da empresa responsável pelo helicóptero, contou que já presta serviços à Rede Globo há quinze anos e que nunca havia acontecido nenhum acidente deste tipo.

Ele informou que o Globocop passou por uma revisão recentemente e estava com a manutenção em dia. Ele acredita que não houve nenhum problema técnico e nem falha humana. “Eu acho que foi algum fator externo. Todo acidente aeronáutico ou é falha humana ou mecânica, mas eu não acredito em nenhum dos dois”, disse.

Entenda o caso

Por volta das 6h05 desta terça-feira (23), o helicóptero de uma empresa que presta serviços à Rede Globo Nordeste caiu nas
proximidades da Avenida Antônio de Góes, no bairro do Pina, na Zona Sul do Recife. Chovia muito no momento da queda.

Segundo o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), o comandante do helicóptero, Daniel Galvão, morreu no
local. A sargento da aeronáutica e controladora de voo Lia Maria Abreu de Souza, de 34 anos, chegou a ser socorrida, mas
também não resistiu à gravidade dos ferimentos. O operador de Sistemas, Miguel Brendo, foi socorrido e levado para o
HR. Ele está passando por cirurgia e o estado de saúde é gravíssimo.

A aeronave pertencia à empresa Helisae. De acordo com a Globo, a empresa prestava serviços à emissora há mais de 15 anos.
O helicóptero teria passado por uma inspeção há uma semana.


Mais Lidas