EDUCAÇÃO

Condenada a pagar indenização a professor, ex-aluna diz ter se sentido constrangida


A estudante foi condenada a pagar R$ 5 mil de indenização por danos morais ao professor após uma confusão em sala de aula

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 02/03/2018 às 14:20
Leitura:

Imagem

A ex-aluna que foi condenada a pagar indenização a um professor por danos morais reafirma que se sentiu constrangida pelo docente e por isso fez a denúncia contra ele. Em 2016, a aluna estudava na Escola Estadual de Referência em Ensino Médio Apolônio Sales, no bairro do Ibura, na Zona Sul do Recife, e foi repreendida pelo professor porque estava conversando.

A ex-aluna, que não teve a identidade revelada, afirma que o professor agiu com arrogância. “Uma colega do lado me perguntou uma coisa, quando eu estava respondendo a ela, ele parou e ficou olhando para mim. E aí, nesse momento, uma menina que estava na minha frente disse ‘ele tá olhando pra você’. Aí eu parei de falar imediatamente”, diz a aluna.

Segundo a estudante, o professor pediu para que ela mudasse de lugar após essa situação e falou que ela era uma boa aula, mas que estava sendo influenciada.

Confira os detalhes na reportagem de Felipe Pessoa:

O professor Jeff Kened Barbosa, que leciona matemática e física na unidade, afirma que a aluna atrapalhava a aula quando fez o pedido.

Imagem

Na última quarta-feira, a advogada Maria Amália, que defende a estudante, anunciou que vai recorrer da decisão.

Mãe diz que se sente desamparada

A mãe da jovem, que também teve o nome preservado, afirma que a filha sempre foi boa aluna, e diz se sentir desamparada diante da situação. “Não apuraram os fatos de verdade. Minha filha sofreu bullying dentro da escola, dentro da sala de aula. Ela saiu escoltada por uma supervisora que ligou para mim desesperada dizendo que, em 12 anos de profissão, nunca tinha visto uma coisa daquela”, disse.

“Os alunos estavam com ânimos exaltados querendo linchar minha filha. Eu tive que encontrar minha filha na rua, em estado deplorável. Imediatamente cheguei no Ministério Público, prestei queixa, e até hoje nada foi feito. Eu me sinto desamparada”, lamentou a mãe da garota.

Sobre o caso, o diretor de comunicação do Sintepe, Dilson Marques, afirmou que situações de desrespeito contra professores são comuns, e são frutos de problemas na educação familiar, e serve de alerta para problemas na rede pública de ensino.

Na sentença do juiz Auziênio de Carvalho Cavalcanti, a estudante foi condenada a pagar R$ 5 mil de indenização ao professor.


Mais Lidas