TRÂNSITO

Placa no padrão Mercosul deve garantir maior segurança contra clonagem


O novo formato das placas no padrão Mercosul permite mais combinações

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 14/05/2018 às 15:54
Divulgação/ Detran PE
FOTO: Divulgação/ Detran PE
Leitura:

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) deu um prazo de até 1º de dezembro para os Detrans implantarem as placas padrão Mercosul. Pernambuco já estar preparado, desde o ano passado, para produzir as novas placas.

O novo modelo tem quatro letras e três números, bandeiras do Brasil, do estado e do município onde o veículo está matriculado, o que vai ter interferência direta no IPVA. O novo formato permite mais combinações e em Pernambuco há quase 7 milhões. A ideia é que as novas placas sejam mais seguras, com itens que evitem a clonagem.

Para que essas novas placas comecem a ser instaladas, o Detran Pernambuco está fazendo os últimos ajustes para iniciar, em até 30 dias, o novo emplacamento com o padrão Mercosul, como explicou o presidente do Detran, Charles Ribeiro. “Ninguém está obrigado a fazer nada. Se você comprar ou adquirir um veículo novo, zero km, já vai sair com a nova placa. Se você comprar um veículo usado ele já vai sair com a nova placa. Se você transferir a propriedade também. Isso, tranquilamente, nós vamos fazer ao longo do período”, explicou.

Atualmente, o valor da placa convencional, que é cinza, com material reflexivo e lacre, chega a R$ 140 mais as taxas do Detran. “Com essa nova placa, que não tem mais lacre, tarjeta, aquele fio que liga ao veículo, ela deverá cobrar algo em torno de R$ 60 a R$70 fora as taxas do Detran”, destacou, acrescentando que o valor não incluir as taxas do Detran.

João Eduardo Morais, representando o Denatran, explicou que a clonagem de veículos será combatida com mais rigor e um dos motivos é o cadastramento de todas as empresas que fabricam o produto.

Confira os detalhes na reportagem de Matheus Sampaio:


Mais Lidas