Pai e filho são presos em nova fase da Operação Lava Jato

Em Pernambuco, a 52ª fase da Operação Lava Jato cumpriu sete mandados de busca e apreensão

POLÍCIA FEDERAL
Pai e filho são presos em nova fase da Operação Lava Jato

Suspeitos de participação de um esquema que obtinha vantagens em contratos da Petroquisa - subsidiária da Petrobras com a Odebrecht - foram os alvos da operação Greenwic, 52º fase da Operação Lava Jato. De acordo com a Polícia Federal, quantias eram entregues em dinheiro vivo ou remessas bancárias para o exterior.

O primeiro nome é o do empresário Djalma Rodrigues de Souza, que também é ex-executivo da estatal, preso no Rio de Janeiro, na manhã desta quinta-feira (21), em virtude de um mandado de prisão preventiva expedido contra ele.

Já o filho dele, Douglas Campos Pedrosa de Souza, alvo de mandado de prisão temporária aqui no Recife, não foi encontrado e preferiu se entregar a Polícia Federal de São Paulo.

Aqui no Estado, sete mandados de busca e apreensão foram executados em empresas ligadas a Djalma Rodrigues na Zona Norte do Recife e em Timbaúba, na Zona da Mata Norte do Estado. Giovani Santoro, chefe de comunicação da Polícia Federal em Pernambuco, falou sobre o trabalho realizado no Estado. 

Confira os detalhes na reportagem de Rafael Carneiro:

 

Segundo a Polícia Federal de Curitiba, que comanda as investigações, pai e filho são investigados por vários crimes. "Dentre eles, fraudes em licitação, lavagem de direito, corrupção. Os crime  apontados, caso eles sejam condenados, eles podem pegar penas que ultrapassam os 20 anos de reclusão", disse. 

Todo o material apreendido, mídias de computador, documentos e dinheiro serão encaminhados para Curitiba, centro operacional da Lava Jato. O mesmo destino terão o empresário Djalma Rodrigues e o filho Douglas Pedrosa.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.