VIOLÊNCIA

Em menos de 24h, duas mulheres são brutalmente assassinadas na RMR


Uma idosa de 78 anos e uma jovem de 24 anos foram assassinadas e a polícia acredita que as mulheres foram mortas a facadas

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 12/07/2018 às 14:09
Reprodução/ Internet
FOTO: Reprodução/ Internet
Leitura:

A Polícia Civil investiga os assassinatos de duas mulheres que foram mortas de forma covarde e cruel em menos de 24 horas na Região Metropolitana do Recife.

O primeiro caso foi no bairro do Janga, em Paulista. A vítima maria José Macário, de 78 anos, foi encontrada dentro do banheiro da casa onde morava há mais de cinco anos no Conjunto Beira Mar. O corpo dela tinha uma lesão no pescoço que segundo a família parecia ter sido provocada por uma faca.

Também de acordo com parentes o principal suspeito do crime é um homem de aproximadamente 40 anos que já conhecia a idosa há algum tempo, era de confiança e trabalhava como pintor.

O sobrinho de Maria José, Paulo Macário, afirma que o suspeito estava há uma semana fazendo um serviço de pintura na casa da idosa e que ela desconfiou que ele teria roubado uma televisão dela e ameaçou procurar a polícia. “Ele tinha livre acesso à casa, ela deixava a casa com ele. Antes de ontem, ele não voltou com a casa e ela quando chegou não o encontrou, chamou o vizinho, quebrou o cadeado e percebeu que a televisão estava faltando”, contou.

Segundo Paulo Macário, a idosa disse que iria denunciar o homem. O suspeito ainda não foi identificado.

Crime no bairro de Afogados

O segundo caso aconteceu no início da madrugada desta quinta-feira no bairro de Afogados, no Recife. A vítima foi uma jovem de 24 anos. Thayane Franciele de Santana foi assassinada com duas facadas uma no pescoço e outra nas costas.

O corpo foi encontrado dentro da casa onde morava e, de acordo com a polícia, no local havia muito sangue e sinais de luta corporal.

O companheiro da jovem está no Cotel há dez anos e, segundo vizinhos, o relacionamento do casal era complicado e agressivo. Também segundo parentes, ele mantinha contato com a vítima e com a família dela por telefone.

O delegado Diego Acioli fala sobre a investigação. “Ontem à noite ela estava bebendo com duas pessoas. A gente não sabe se essas pessoas têm ligação direta com o fato, mas de acordo com a rigidez do cadáver, o fato aconteceu por volta da meia noite. Então existe uma linha que pode indicar que essas pessoas que estavam bebendo com ela são autores do crime”, disse.

Ouça os detalhes na reportagem de Juliana Oliveira:

Agressão

Em Olinda, no bairro de Jardim Atlântico, câmeras de segurança registraram uma mulher sendo agredida na rua pelo companheiro.

O casal estava com o filho um bebê que presenciou tudo. Após espancar a mulher o homem foi embora.


Mais Lidas