Pernambuco

Paralisação de rodoviários é caso de polícia, diz presidente da Urbana


Oposição ao Sindicato dos Rodoviários do Recife e RMR (Sttrepe) reivindica os reajustes salariais

Mayra Milenna Gomes
Mayra Milenna Gomes
Publicado em 12/07/2018 às 9:47
Foto: JC Imagem
FOTO: Foto: JC Imagem
Leitura:

Presidente da Empresas de Transporte Integrado (Urbana-PE), Fernando Bandeira diz que a paralisação de rodoviários da manhã desta quinta-feira (12) é caso de polícia e que os responsáveis estão sendo identificados. "A grande maioria não é rodoviário, participa de grupos políticos e acha-se no direto de intervir no ir e vir das pessoas", disse em entrevista a Geraldo Freire, no Passando a Limpo, da Rádio Jornal.

Ouça entrevista completa:

"Contra os que não forem rodoviários nós vamos entrar com uma ação cível pública e os que forem rodoviários vão ser advertidos, quiçá demitidos", explica. "É um absurdo, é uma falta de sensibilidade desses pseudo líderes - e de gente que nem é rodoviário - de atrapalhar a economia, o comércio, a indústria, a hora que as pessoas têm que ir pro médico. A população pode ficar tranquila porque não vamos deixar passar isso sem consequências". garantiu.

Entenda

Um grupo formado por rodoviários de oposição ao Sindicato que representa a categoria paralisa a circulação de ônibus nas três vias da Avenida Guararapes, no bairro de Santo Antônio, Centro do Recife, na manhã desta quinta-feira (12). A oposição ao Sindicato dos Rodoviários de Recife e RMR (Sttrepe) reivindica os reajustes salariais. Em nota, o grupo O Guará afirmou que está insatisfeita com "reajuste de 2,82%, valor abaixo da inflação", proposto pela classe patronal em mesa de negociação. "O sindicato não pode aceitar essa proposta! Deve convocar imediatamente os rodoviários para lutar. Se não fizer, é mais uma prova de que é um sindicato pelego, que só serve aos patrões.", afirma o grupo.


Mais Lidas