SEM ÔNIBUS

Rodoviários de oposição ao Sindicato fazem paralisação no Recife


Para o advogado trabalhista Marcos Alencar, a paralisação é irregular, que que o grupo não representa a categoria dos rodoviários. "Conflitos internos precisam ser decididos internamente"

Maria Luiza Falcão
Maria Luiza Falcão
Publicado em 12/07/2018 às 8:07
Foto: Rafael Carneiro/Rádio Jornal
FOTO: Foto: Rafael Carneiro/Rádio Jornal
Leitura:

Um grupo formado por rodoviários de oposição ao Sindicato que representa a categoria paralisa a circulação de ônibus nas três vias da Avenida Guararapes, no bairro de Santo Antônio, Centro do Recife, na manhã desta quinta-feira (12). Saiba mais na reportagem de Rafael Carneiro:

A oposição ao Sindicato dos Rodoviários de Recife e RMR (Sttrepe) reivindica os reajustes salariais. Em nota, o grupo O Guará afirmou que está insatisfeita com "reajuste de 2,82%, valor abaixo da inflação", proposto pela classe patronal em mesa de negociação. "O sindicato não pode aceitar essa proposta! Deve convocar imediatamente os rodoviários para lutar. Se não fizer, é mais uma prova de que é um sindicato pelego, que só serve aos patrões.", afirma o grupo.

No Derby e na Avenida Conde da Boa Vista, a promessa de paralisação não se concretizou até o meio da manhã. O trânsito sofre apenas reflexo dos protestos na Avenida Guararapes.

Conflito interno

O Sindicato dos Rodoviários do Recife e Região Metropolitana, por sua vez, não assume a organização do movimento. Em nota emitida nessa quarta-feira (11), afirmou que "o espaço para oferecimento de propostas e contrapropostas nesse momento é na mesa de negociação.

Para o advogado trabalhista Marcos Alencar, o movimento realizado por um grupo de oposição ao Sindicato é uma mobilização que carece de legitimidade. "A greve pode acontecer, mas as pessoas que vão fazê-la precisam ter legitimidade", diz. Para ele, a parada de algumas horas causa transtornos à população, foi "boatada" e precisa ser evitada pelo judiciário.

A opinião do advogado é que cabe multa e ela deve ser aplicada aos líderes do movimento. Marcos Alencar explica que a identificação desses líderes pode ser feita facilmente. Ouça a entrevista completa:

Leia a íntegra dos posicionamentos:

Nota da oposição

Novamente a patronal provoca os rodoviários oferecendo na mesa de negociação um reajuste de 2,82%, valor abaixo da inflação. Não quer nem debater o dissídio de 2017 e os demais pontos da pauta.

O sindicato não pode aceitar essa proposta! Deve convocar imediatamente os rodoviários para lutar. Se não fizer, é mais uma prova de que é um sindicato pelego, que só serve aos patrões.

Já avisamos: a patronal tem até o dia 11/07 para atender nossa pauta. Caso contrário, no dia 12/07 vamos fazer um grande protesto pela manhã, em todas as avenidas e terminais dessa cidade.

Queremos construir esse dia de luta junto com o sindicato, junto com Grilo e junto com as oposições. Só a luta muda a vida! Só demonstrando força conquistaremos nossas reivindicações.

Nota do Sindicato dos Rodoviários

O Sindicato dos Rodoviários do Recife e RMR informa que não há indicativo de greve ou paralisação da categoria até o momento, devido às negociações estarem em curso e a uma nova rodada de negociação agendada para esta quinta-feira, dia 12/07. Portanto, o espaço para oferecimento de propostas e contrapropostas nesse momento é na mesa de negociação.

Na última reunião da rodada de negociação da Campanha Salarial 2018/2019, com a classe patronal, ocorrida segunda-feira (dia 09/07), os patrões propuseram um reajuste linear de 2,82%, que foi prontamente rebatido pelo sindicato, que estipulou uma proposta de 4,5% de aumento no salário e aumento de 11% no ticket de alimentação. Na ocasião, houve ainda uma contra proposta do Sindicato dos Rodoviários com os seguintes pontos:

- Proibição da terceirização;
- Garantia dos postos de trabalho de cobradores:
- Homologação sem custos na sede do sindicato.

A próxima reunião, que acontece nesta quinta-feira (12), será às 15h, na sede da Secretaria das Cidades de Pernambuco.


Mais Lidas