Aldeia

Morte de cardiologista: polícia não tem prazo para término de perícia


Equipes de busca encontraram a cabeça e o tronco do médico nessa quinta-feira (12)

Mayra Milenna Gomes
Mayra Milenna Gomes
Publicado em 13/07/2018 às 13:43
Foto: Reprodução/Facebook
FOTO: Foto: Reprodução/Facebook
Leitura:

Com o fim dos trabalhos de busca pelos restos mortais do médico cardiologista Denirson Paes da Silva, de 54 anos, morto em Aldeia, Camaragibe, a polícia aguarda agora o resultado das análises do material para prosseguir com as investigações. Nessa quinta-feira (12), equipes do corpo de bombeiros, do Instituto de Criminalística e de uma empresa particular especializada em perfuração de poços, que foi contratada pela família da vítima, encontraram a cabeça e o tronco do médico. A polícia deve, agora, analisar os restos mortais para descobrir a causa da morte, informação fundamental para a conclusão das investigações.

Ouça informações com Felipe Pessoa:

A chefe da polícia científica, Sandra Santos, afirma que a perícia é um trabalho difícil, mas que deve ser conclusivo para a resolução do crime. Não há prazo para o término dos trabalhos, mas a representante da polícia científica afirma que os peritos trabalham no caso desde a chegada dos primeiros restos mortais, no último dia 5. Segundo Sandra Santos, o foco do trabalho é descobrir as circunstâncias da morte do médico.

Presos

Também nessa quinta, o presidente da Segunda Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Pernambuco, o desembargador Antônio de Melo, negou o pedido de habeas corpus de Jussara e Danilo Paes, suspeitos de cometer o crime. Os dois cumprem prisão preventiva de 30 dias desde o dia 5 de julho. O advogado Alexandre Oliveira não quis se pronunciar sobre o caso.


Mais Lidas