INSEGURANÇA

PE registrou média de 12 homicídios por dia no 1º semestre de 2018


Segundo os dados apresentados pela SDS, o número de homicídios apresentou redução em relação a 2017, o ano mais violento do PPV

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 13/07/2018 às 16:30
Acervo/ JC Imagem
FOTO: Acervo/ JC Imagem
Leitura:

Os Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) em Pernambuco completaram sete meses de redução consecutiva em relação aos mesmos períodos do ano anterior, mas ainda assustam. Com 335 mortes, junho de 2018 recuou 12% no comparativo a junho de 2017 (379) e tornou-se o mês com menos ocorrências dessa natureza em uma série histórica de dois anos – foi superado por junho de 2016, com 333 CVLIs. Considerando o primeiro semestre deste ano, houve 21% de declínio na análise com o mesmo período de 2017 (de 2.875 para 2.279 assassinatos).

Dessa forma, segundo dados da Secretaria de Defesa Social (SDS), divulgados nesta sexta-feira (13), houve uma média de 12 homicídios por dia no primeiro semestre de 2018.

Motivações e perfil das vítimas

O percentual de CVLIs motivados por envolvimento com o tráfico de drogas, acerto de contas e outras atividades criminosas em junho de 2018 e no primeiro semestre do mesmo ano se assemelha: 74,03% e 72,58%, respectivamente. A segunda maior motivação, no mês, são os conflitos na comunidade (13,13%), seguidos dos conflitos afetivos ou familiares (exceto feminicídio), com 3,28%. Por fim, vêm os feminicídios, com 2% (sete casos), e os latrocínios, com 1,79% (seis vítimas) no mês de junho – a quantidade de roubos seguidos de morte no mês passado foi a menor em uma série de 39 meses, perdendo apenas para março de 2015 (cinco casos).

Latrocínios

No 1º semestre, a proporção de homicídios causados por conflitos nas comunidades foi de 15,66%. Os latrocínios, 3,12%. Em 2018, houve 72 roubos seguidos de morte, contra 143 casos em 2017 e 84 em 2016. Os feminicídios representaram, no 1º semestre, 1,32% do total das motivações.

Um levantamento feito pela Gerência de Análise Criminal e Estatística (GACE) mostra que, de todas as 335 vítimas de homicídios em junho de 2018, 126 (ou 37,61%) tiveram passagem pelo sistema de Justiça Criminal. No acumulado do 1º semestre, esse percentual sobe para 37,30%, que significa 850 vítimas previamente presas, indiciadas ou investigadas pelas polícias do Estado.


Mais Lidas