LUTO

Mãe de Raynéia conta que a filha tinha medo da violência em Nicarágua


Raynéia falou para a mãe que havia toque de recolher no país

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 25/07/2018 às 0:25
Estudante foi assassinada tiros em Manágua, capital da Nicarágua 
FOTO: Estudante foi assassinada tiros em Manágua, capital da Nicarágua 
Leitura:

A mãe de Raynéia Lima, de 30 anos, morta na Nicarágua, falou em entrevista sobre o momento de dor que vem passado. Maria José, enfermeira aposentada, conta que a filha precisou sair do Brasil para estudar e realiza o sonho dela.

Na última conversa com a filha, Maria José disse que a filha estava indo para o plantão na manhã da segunda-feira (23). “Ela me disse que estava indo para o plantão, então eu disse para a gente deixar para conversar mais tarde, quando ela estivesse de volta em casa. Mas esse mais tarde não aconteceu”, disse.

De acordo com a mãe de Raynéia, ele estava com muito medo dos conflitos em Nicarágua e explicou para Maria José que tinha um toque de recolher.

Ouça um trecho da reportagem

Itamaraty

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores lamentou o ocorrido e disse estar buscando, junto com as autoridades da Nicarágua, os esclarecimentos do assassinato da jovem. O Itamaraty também condenou ações de força e violência que acontecem neste momento no país.

"O governo brasileiro recebeu com profunda indignação e condena a trágica morte ontem, 23 de julho, da cidadã brasileira Raynéia Gabrielle Lima, estudante de Medicina na Universidade Americana em Manágua, atingida por disparos em circunstâncias sobre as quais está buscando esclarecimentos junto ao governo nicaraguense. Neste momento difícil, estende sua solidariedade e expressa suas mais sentidas condolências à família da jovem. Diante do ocorrido, o governo brasileiro torna a condenar o aprofundamento da repressão, o uso desproporcional e letal da força e o emprego de grupos paramilitares em operações coordenadas pelas equipes de segurança, conforme constatado pelo Mecanismo Especial de Seguimento para a Nicarágua instalado para implementar as recomendações da Comissão Interamericana de Direitos Humanos.

Ao repudiar a perseguição de manifestantes, estudantes e defensores dos direitos humanos, o governo brasileiro volta a instar o governo da Nicarágua a garantir o exercício dos direitos individuais e das liberdades públicas." O governo brasileiro exorta as autoridades nicaraguenses a envidarem todos os esforços necessários para identificar e punir os responsáveis pelo ato criminoso."


Mais Lidas