RADAR

Mercado de drogas é menos violento na classe média, diz sociólogo


José Luiz Ratton abordou a violência no mercado de drogas na coluna Segurança e Cidadania desta terça (31)

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 31/07/2018 às 20:07
Rádio Jornal
FOTO: Rádio Jornal
Leitura:

Grande parte dos assassinatos no Brasil, hoje, têm ligação com o tráfico de substâncias ilícitas. De acordo com uma análise feita, nesta terça-feira (31), pelo sociólogo José Luiz Ratton, na Rádio Jornal, existem diferenças importantes entre os mercados de drogas da classe média e da população de baixa renda. No primeiro, a polícia raramente entra. Já o segundo, está vulnerável às abordagens policiais e a ataques de outros grupos armados.

De acordo com o pesquisador, a consignação é o principal fator que leva à violência e acontece, majoritariamente, dentro do mercado de drogas das camadas populares. Os mercados de droga na classe média, segundo ele, são fechados, cobertos e têm pouca visibilidade. "As transações costumam ser realizadas com o auxílio da tecnologia, delivery, mecanismos das redes sociais", detalha. "O pagamento é realizado antes da entrega da substância ilícita, isso evita a criação de dívidas", completa Ratton.

Violência no mercado de drogas das classes populares

Por outro lado, o mercado de drogas nas classes populares é aberto, está em áreas destituídas de direitos sociais e têm enorme contraste com as áreas mais abastadas da cidade. "O comprador, em geral, não tem o recurso para o consumo daquela substância e, ao buscar a substância, ele também vai vendê-la ou vender parte dela para que possa consumir", explica. "Caso aconteça qualquer tipo de intercorrência no processo de venda ou se há consumo, é gerada uma dívida", acrescenta o sociólogo.

Ouça a coluna, na íntegra:

Segundo a análise feita por Ratton, a criação da dívida permite o surgimento de mecanismos de cobrança, que não se dão através do Estado. "Então, a consignação vai ter uma relação direta com a produção da violência", conclui.

Radar Segurança e Cidadania

José Luiz Ratton é sociólogo, professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Políticas de Segurança. Ele está todas as terças-feiras, a partir das 19h, à frente da coluna Segurança e Cidadania, no programa Radar, com Wagner Gomes.


Mais Lidas