DESPEDIDA

Não vou suportar ver minha filha no caixão, diz mãe de Raynéia durante velório


O sepultamento do corpo da pernambucana Raynéia Gabrielle Lima, assassinada na Nicarágua, está marcado para esta sexta-feira. Mãe da universitária pretende lançar um livro em homenagem à filha

Maria Luiza Falcão
Maria Luiza Falcão
Publicado em 03/08/2018 às 9:04
Foto: Rafael Carneiro/Rádio Jornal
FOTO: Foto: Rafael Carneiro/Rádio Jornal
Leitura:

Amigos e familiares de Raynéia Gabrielle Lima, 31 anos, assassinada a tiros na Nicarágua no dia 23 de julho, são aguardados no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, onde acontece o velório do corpo da universitária. Na madrugada desta sexta, o caixão trazendo o corpo da pernambucana chegou ao Aeroporto Internacional do Recife.

A mãe de Raynéia, Maria José da Costa segura o diploma de médica da filha, conferido pela universidade onde ela estudava como homenagem póstuma. Muito abalada, ela diz que prefere não ver o corpo da filha dentro do caixão. "Eu não sei se vou conseguir sobreviver se eu chegar junto daquele caixão e ver minha filha dentro. Eu prefiro não ver, vou guardar a imagem da minha filha viva", disse. "Prefiro ficar na minha mente que ela está viva e resolveu morar lá pra sempre, que ela disse 'mainha, eu resolvi morar aqui, um dia a gente se encontra', é isso que eu quero ter da minha filha", completou.

Muito emocionada, a mãe afirmou ainda que irá lançar um livro para que a memória de Raynéia seja preservada. Ela voltou a pedir celeridade nas investigações do assassinato da filha. Saiba mais na reportagem de Rafael Carneiro:

Despedida

Um missa de Corpo Presente será realizada no Cemitério Morada da Paz. O sepultamento está marcada para às 11h, mas pode ser remarcado caso a família de Raynéia que mora em garanhuns, no Agreste do Estado, não chegue a tempo.


Mais Lidas