Eleições

Armando Monteiro reafirma voto em Lula e chama Bolsonaro de bisonho


Armando Monteiro (PTB) ainda criticou a gestão de Paulo Câmara e a postura do PSB na campanha eleitoral ao Governo de PE

Antônio Gabriel Machado
Antônio Gabriel Machado
Publicado em 09/08/2018 às 12:02
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
FOTO: Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

O candidato ao Governo do Estado de Pernambuco Armando Monteiro (PTB), reafirmou o voto no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em caso da liberação do petista para concorrer à Presidência da República. Segundo o parlamentar, Lula montou uma 'liderança indiscutível' e que os fatos apresentados contra ele precisam ter 'materialidade comprovada'.

Contradições fazem parte da política brasileira, diz Armando Monteiro

"Lula é um símbolo do povo brasileiro. Veio de Pernambuco, foi para o sul e construiu uma liderança indiscutível. Vamos dizer que os fatos que são apontados para ele, precisam ter materialidade comprovada. Existe o princípio da presunção da inocência, respeito esse princípio", disse Armando Monteiro durante a sabatina da Rádio Jornal nesta quinta-feira (9).

Armando ainda defendeu as ações de Lula no estado ainda quando petista era Presidente. "Fez, ao tempo que foi governante, uma ação importante para elevar a condição de vida, fez muito por Pernambuco. Não há um grande projeto em Pernambuco que não tenha passado por Lula. Estaleiros, quem induziu o processo foi Lula. Transposição, foi Lula. Refinaria, uma ação indutora de Lula. Quando você fala da ampliação do Bolsa Família e política de salário mínimo, foi Lula. É um homem público com um lastro. Como Pernambucano, sempre reconheci a importância dele".

A respeito de Jair Bolsonaro (PSL), candidato à Presidência de um partido que faz parte da coligação de sua coligação, Armando Monteiro afirmou que não há palanque para o candidato. "Mantenho minha posição. Se Lula for candidato, eu voto em Lula, mas não tenho compromisso com candidato do PT. Sem Lula, vou avaliar esse cenário num momento certo. O PSL está na nossa coligação, está presente, não nos pediu que abrisse palanque para Bolsonaro. Temos vários partidos que poiam Alckmin e dois partidos que poiam Álvaro Dias", comentou.

Ainda dentro do assunto Bolsonaro, Armando avaliou a vida política do candidato como 'bisonha'. "O que Bolsonaro foi, foi um parlamentar bizonho. Produção dele é bizonha, seja do ponto de vista de proposta, de comissões técnicas, uma pálida atuação no congresso. Foi um deputado fraco".

Pacto pela vida é uma marca mal gerida, diz Armando Monteio

Sobre a segurança pública do Estado, um dos palanques de discussão das eleições, Armando Monteiro teceu críticas ao governo Paulo Câmara (PSB). Armando prometeu um maior investimento de valorização dos profissionais de segurança pública.

"Temos eixos importantes para o programa de segurança. Pernambuco tem maior taxa de homicídios que São Paulo e São Paulo tem 6x mais habitantes. Isso é uma tragédia. Como se pode fazer uma ação na área de segurança sem um modelo integrado com os municípios? Vamos investir numa repressão qualificada e inteligência, vamos investir em inteligência. É preciso repactuar e refazer o Pacto pela Vida, que hoje é uma marca mal gerida. Precisamos valorizar o profissional da área de segurança", comentou.

Armando ainda criticou a postura do PSB dentro da campanha ao governo do estado. "Quando você é bem avaliado, você não precisa eliminar concorrente. Esse governo do PSB precisa eliminar concorrente, por isso se apoiou em Lula e tirou Marília. Quando você é mal avaliado, você precisa eliminar concorrente",

Ouça o debate com Armando Monteiro na íntegra

Assista o debate com Armando Monteiro


Mais Lidas