FRAUDES

Ex-vereador do Paulista era líder de quadrilha que desviou R$5 mi em licitações


A Operação Chaminé da Polícia Civil foi deflagrada na última sexta-feira (10) na Câmara de Vereadores do Paulista

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 13/08/2018 às 16:59
Foto: Divulgação/Polícia Civil
FOTO: Foto: Divulgação/Polícia Civil
Leitura:

A Polícia Civil apresentou os detalhes da Operação Chaminé deflagrada na última sexta-feira (10) na Câmara de Vereadores do Paulista. Cinco mandados de prisão preventiva e dez de busca e apreensão foram cumpridos. O alvo principal e líder da associação criminosa foi o ex-presidente da câmara, Iranildo Domício de Lima. Ele recebia dinheiro do empresário Elias Ulisses da Silva proprietário da empresa EUS Construções para favorecer licitações.

Também participavam do esquema Mauro Monteiro de Melo, o Monteirinho, que se passava como representante da empresa de Elias, Lúcia Maria do Nascimento, que tinha a função de diretora na câmara, e José Roberto Lima dos Santos Silva, o Bebeto, que agia nas licitações como laranja representando a empresa JE Empreendimentos e Construções.

Quatro contratos de licitações foram investigados entre os anos de 2013 e 2015. Os valores chegaram a R$ 700 mil. Deste total, R$ 400 mil circulavam na conta de Lúcia Maria.

De acordo com o delegado, Diego Pinheiro, o dinheiro seria utilizado para serviços de pintura, manutenção, obras e compra de material de expediente, mas apenas pequenas reformas foram feitas na Câmara.

A empresa EUS Construções, que funcionava de fachada, também mantinha contratos fraudulentos com mais onze cidades na Região Metropolitana do Recife e o prejuízo ao cofre público pode chegar a R$ 5 milhões.

Os detalhes na reportagem de Juliana Oliveira:

Situação dos presos

Lúcia Maria está na Colônia Penal Feminina do Bom Pastor e os homens no Cotel. A preventiva tem prazo de cinco dias podendo ser prorrogado até a conclusão das investigações. Todos os envolvidos irão responder pelos crimes de associação criminosa, corrupção ativa e passiva, fraude em licitação, peculato e lavagem de dinheiro.


Mais Lidas