MÚSICA

Saí porque era explorada, diz Lu Andrade sobre saída do Rouge em 2004


Em entrevista exclusiva ao Frequência 2.0, Lu Andrade diz que meninas não eram reconhecidas como artistas por empresários. Volta da banda animou Recife no fim de semana

Rafael Souza
Rafael Souza
Publicado em 13/08/2018 às 11:35
Foto: Reprodução/Internet
FOTO: Foto: Reprodução/Internet
Leitura:

De volta desde 2017, após um hiato de mais de 10 anos, o grupo Rouge está com a formação completa e matando as saudades de fãs de todo o Brasil em uma mega turnê que chegou ao fim no Recife no último sábado (11). Uma das integrantes da banda, a cantora Lu Andrade, conversou com o “Frequência 2.0”, da Rádio Jornal, e disse que deixou o grupo no auge, em 2004, porque se sentia “explorada”. Escute na íntegra no áudio abaixo.

Sucesso ontem e hoje

Girlband mais bem sucedida da história brasileira, o Rouge completa 16 anos em 2018. Uma das cinco integrantes do grupo, a cantora Lu Andrade falou sobre a saída do grupo em 2004, no auge: “Saí porque fui explorada”, contou. De acordo com a artista, elas “não eram reconhecidas como artistas de verdade pelos empresários da época”. O reconhecimento só partia do público, acrescentou.

A saída da cantora na época foi turbulenta e envolveu rumores de brigas com outras componentes. “Muita gente não entendeu na época. Hoje, me veem como uma mulher corajosa”, relata. Lu Andrade afirma que a relação entre as cantoras do Rouge atualmente é boa e todas estão matando as saudades do público.

Programa especial

Além da entrevista com Lu Andrade, o “Frequência 2.0” fez um paradão de sucessos do Rouge e uma homenagem ao Dia dos Pais com a participação de Claudionor e Nonô Germano. Na coluna “Sexo e Relacionamento”, a influência paterna na vida afetiva dos filhos e ainda o último episódio da série luz e sombra dos signos no quadro “Astros e Estrelas”.


Mais Lidas