DEPOIMENTO

Após 13 horas de depoimento, Marcellus Ugiette reafirma inocência


Na saída do prédio do Ministério Público, Marcellus Ugiette aparentava tranquilidade apesar do cansaço

Maria Luiza Falcão
Maria Luiza Falcão
Publicado em 16/08/2018 às 9:42
Sérgio Bernardo/ JC Imagem
FOTO: Sérgio Bernardo/ JC Imagem
Leitura:

O promotor Marcellus Ugiette, titular da 19ª e da 54ª promotorias de Justiça Criminal do Recife, prestou primeiro depoimento no Grupo De Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público de Pernambuco nesta quarta-feira (15). O promotor é investigado por corrupção passiva e suspeito de ter beneficiado com transferências para a mesma unidade prisional integrantes de uma quadrilha de estelionatários.

Na operação Ponto Cego, que investiga o promotor, foram apreendidos celulares, pendrive e outros equipamentos eletrônicos na residência e no gabinete de Ugiette. O promotor acabou sendo afastado das atividades por 60 dias para as investigações.

Enquanto isso, uma força-tarefa com seis promotores foi designada a analisar os processos criminais que estavam sob a responsabilidade dele. O grupo deve atuar até o próximo dia 31, mas o prazo pode ser prorrogado. O caso está em segredo de justiça.

Depois de 13 horas de depoimento e visivelmente cansado, Marcellus Ugiete afirmou que está tranquilo e vai ratificar sua inocência. “É muito difícil avaliar se eles acreditaram ou não na minha versão. Eu não tinha podido falar ainda para os investigadores. Agora eles têm duas versões, a minha e a deles”, afirmou.

Ato público

Amigos e parentes de Ugiette prometem realizar um ato em apoio ao promotor em frente ao Ministério Público de Pernambuco, na rua Visconde de Suassuna. O protesto está marcado para às 10h desta sexta-feira.


Mais Lidas