Suspeito de estelionato é preso tentando vender casa de outra pessoa

Homem fazia parte de organização criminosa com atuação em tráfico de drogas e estelionato no Litoral Sul do Estado

NO COTEL
Suspeito de estelionato é preso tentando vender casa de outra pessoa

Suspeito foi preso dentro de agência bancária - Foto: Divulgação/ Polícia Civil

Está no Cotel, em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife, um homem identificado pela polícia como integrante de uma associação criminosa envolvida com a prática de tráfico de drogas e de estelionato. Dielmo Andrade de Oliveira, de 36 anos, foi preso em flagrante dentro de uma agência bancária no município de Ipojuca quando tentava negociar uma casa que não era dele.

O suspeito faz parte de uma quadrilha que age no Litoral Sul do Estado. De acordo com a polícia o grupo chegava a expulsar moradores de residências em Porto de Galinhas, Camela e Nossa Senhora do Ó de forma ameaçadora. As famílias que eram inquilinas dos imóveis eram obrigadas a deixar casas que seriam vendidas pelos criminosos após a desocupação dos moradores. Os traficantes anunciavam a venda em site e chegavam a oferecer o imóvel até mesmo ao proprietário. Dez famílias foram expulsas pelo grupo.

A polícia chegou até o homem após denúncia de uma das vítimas que forjou um encontro no banco para fazer parte do pagamento da residência. As casas eram vendidas por R$ 60 mil, preço abaixo do mercado, como explica o delegado titular de Ipojuca, Ney Luís. “Ele ofereceu a casa no site OLX por um preço mais abaixo. O comprador desconfiou, acionou a delegacia e a gente passou a monitorar a situação”, contou.

Confira os detalhes na reportagem de Juliana Oliveira:

Investigação

Desde o início das investigações, dez pessoas foram presas e a polícia acredita que há mais traficantes envolvidos no crime. Dielmo Andrade de Oliveira já tem passagem por roubo e tráfico de drogas.

Os moradores expulsos das casas serão orientados a retornar.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.