Debate da Super Manhã

Geraldo Freire

access_time

02:00

Super Manhã / Passando a limpo

Geraldo Freire

access_time

03:20

Consultório do Rádio Livre

-

Debate da Super Manhã

Geraldo Freire

access_time

02:00

Super Manhã / Passando a limpo

Geraldo Freire

access_time

03:20

Consultório do Rádio Livre

-

search close
Crise

Temer cogita distribuição de fichas na fronteira com a Venezuela

Segundo presidente Michel Temer (MDB), ajuda humanitária do Brasil, que seria o ideal, foi rejeitada pela Venezuela

Venezuelanos deixam o país
Venezuelanos deixam o país
Foto: Marcelo Camargo/Ag Brasil

O presidente Michel Temer (MDB), afirmou que cogita a distribuição de fichas na fronteira do Brasil com a Venezuela, no estado de Roraima, com o intuito de organizar e diminuir o número de imigrantes para o território nacional. Segundo Temer, o Brasil ainda teria oferecido ajuda humanitária ao governo venezuelano, que rejeitou. 

"A Venezuela está colocando em desarmonia a América do Sul. É preciso modificar o clima. Propusemos ajuda humanitária a Venezuela, e o governo recusou e as pessoas vieram para cá. O ideal é que eles recebessem ajuda humanitária e conseguissem permanecer. Estamos aumentando muito a interiorização, tirando o pessoal que fica lá para levar para outros estados. Entram 700 ou 800 pessoas por dia. Pensamos em colocar senhas, para entrar menos por dia, para organizar um pouco mais essas entradas", afirmou Temer em entrevista à Rádio Jornal nesta quarta-feira (29). 

Temer ainda comentou sobre a Garantia de Lei e Ordem (GLO) aprovada na última terça-feira (28), com o intuito de colocar as forças armadas nas faixas de fronteira. "Realmente nós editamos a GLO colocando as forças armadas nas faixas de fronteira, precisamente em face dos últimos acontecimentos. As coisas lá caminhavam em ritmos desagradáveis. Quando colocamos essa GLO é pra proteger o cidadão brasileiro. O que fazemos é para proteger o cidadão brasileiro, mandamos 200 milhões para apoio aos venezuelanos, mas com apoio aos brasileiros", comentou. 

Tensão em Roraima

Uma cidade pacata e de migrantes. É assim que muitos classificam Pacaraima, pequeno município do norte de Roraima, que se tornou nos últimos dias palco de tensão e conflito em torno da questão migratória. O pequeno município tem chamado a atenção para sérios problemas causados pelo abandono social e pela intolerância de alguns contra imigrantes venezuelanos.

A cidade ganhou visibilidade nacional e internacional quando começou a receber levas de venezuelanos fugindo da fome, da insegurança e das doenças causadas pela grave crise político- econômica que aflige o país de origem. O conflito ocorrido retomou as atenções de todo o mundo para a cidade.

Ouça a entrevista de Michel Temer na íntegra


COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.