JÚRI POPULAR

Acusados de matar Vanildo de Pombos encaram tribunal do júri


O forrozeiro Vanildo de Pombos foi assassinado a tiros em julho de 2008 aos 47 anos e três pessoas estão no banco dos réus

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 11/09/2018 às 5:41
Acervo/ JC Imagem
FOTO: Acervo/ JC Imagem
Leitura:

Dez anos depois do assassinato do forrozeiro Vanildo de Pombos é que os réus vão a júri popular. A sessão presidida pelo juiz Abner Apolinário da 4ª Vara do Fórum Thomaz de Aquino, no bairro de São José, na área central do Recife, será realizada nesta terça-feira (11), às 9h.

Os réus são Maurício Rodrigues Félix da Silva, Gilberto Manoel Leite e Pedro Severino dos Santos Filho. Eles foram presos em setembro de 2013.

Relembre o caso

Vanildo Vitor Cavalcanti tinha 47 anos quando foi morto a tiros na frente de casa na Rua “C” do Loteamento São Francisco, em Pombos, no Agreste. O homicídio em julho de 2008 teve grande repercussão pois, entre as hipóteses, estava a de crime por motivação política.

Ao ser abordado, o forrozeiro ainda correu cerca de 100 metros, mas terminou sendo alcançado pelos criminosos perto da passarela que passa por cima da BR-232. Vizinhos dizem que mais de dez tiros foram disparados. Grande parte atingiu Vanildo.

Os dois suspeitos, que estavam sem capacete, fugiram a pé. A moto utilizada no crime foi deixada no local. Logo depois, a polícia descobriu que o veículo havia sido roubado minutos antes, perto dali.

Vanildo de Pombos era paranaense de nascimento, mas por ter os pais pernambucanos fez questão de homenagear o Estado. O forrozeiro, que deixou esposa e duas filhas, compôs mais de 300 músicas entre as quais “Minha Resposta é o Silêncio”, “Galope” e “Gonzagão”.


Mais Lidas