Liga do Escrete

João Victor Amorim

access_time

23:30

Negada

Bia Machado, Juliana Mota e Nataly Barreto

Liga do Escrete

João Victor Amorim

access_time

23:30

Negada

Bia Machado, Juliana Mota e Nataly Barreto

search close
Paulo Câmara diz que a crise é culpada por problemas na saúde
Paulo Câmara (PSB) - Foto: Guga Matos/JC Imagem
Eleições

Paulo Câmara diz que a crise é culpada por problemas na saúde

Sobre segurança, Paulo Câmara disse que está fazendo 'um amplo processo' de prender quem está fazendo mal em Pernambuco

JC Online

Sabatinado pela TV Globo nesta sexta-feira (14), o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), apontou a crise como um dos fatores que impactam na gestão da saúde no Estado. "A saúde hoje em todo o Brasil merece uma atenção de todos os governantes. Nós tivemos uma crise muito grande no Brasil, principalmente, no final de 2014 e início de 2015. Essa crise resultou numa procura  maior por parte das pessoas aos serviços públicos de saúde. Pernambuco teve que aumentar muito os seus serviços oferecidos à população, justamente para atender melhor. E tivemos também que ampliar a rede de serviços", disse.

O socialista ainda destacou o impacto da crise nos municípios, que de tabela impacta nas contas estaduais. "Os municípios hoje não têm mais capacidade de ampliar os serviços, pelo contrário. Alguns estão fechando, e o SUS, que é controlado pelo Governo Federal, há 10 anos não aumenta o volume de recursos. Se você for olhar, nos últimos 10 anos Pernambuco gastava o mesmo volume de recursos que a União gastava 10 anos atrás. Hoje, Pernambuco gasta três vezes mais com saúde do que a União gasta, o que mostra claramente um desequilíbrio também nessa questão da saúde pública", destacou.

Sobre atraso na chegada de remédios, Paulo Câmara destacou que em 2014 o Estado tinha 34 mil pacientes que recebiam medicamentos e o número subiu para 54 mil. "O volume de recursos não aumentou e nós tivemos que gastar três vezes mais que nós estávamos antes", afirmou. "Nós temos buscado dar condições de esses medicamentos chegarem mais rápido para as pessoas que precisam. É um esforço que estamos fazendo em todo o estado, seja na prevenção, seja no cuidado para evitar que as pessoas não recebam seu medicamento. Temos que entender o papel da crise nesses processos", completou. 

O governador também culpou o governo de Michel Temer (MDB) pelo atraso em obras que dependem de verba federal. "O governo federal cortou recursos para obras de barragens de contenção de enchentes na Zona da Mata Sul. Tivemos que priorizar os serviços", disse. Você pode conferir a entrevista na íntegra clicando aqui!

SEGURANÇA PÚBLICA

No quesito segurança, Paulo afirmou que está fazendo um "amplo processo de prender quem está fazendo mal em Pernambuco". Ele ainda ressaltou o quanto o tráfico impacta nos números da violência. "Contratamos mais de cinco mil policiais, criamos várias estruturas da segurança pública que não estavam previstas para serem feitas, mas precisavam ser feitas, como os batalhões especializados em Caruaru e Petrolina e como nove delegacias de combate ao narcotráfico, porque hoje a droga é o grande mal da questão do aumento da violência no País e aqui em Pernambuco não foi diferente", disse.


COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.