Greve

Médicos do Recife deflagram greve por tempo indeterminado


A decisão foi tomada pelos médicos associados à rede municipal de saúde após assembleia realizada nesta quinta (20)

Antônio Gabriel Machado
Antônio Gabriel Machado
Publicado em 20/09/2018 às 13:54
Reprodução/Simepe
FOTO: Reprodução/Simepe
Leitura:

Os médicos da rede pública do Recife iniciam, nesta quinta-feira(20), uma paralisação por tempo indeterminado. Estão suspensos todos os serviços ambulatoriais, mas as urgências emergências (policlínicas e Caps 24h) vão funcionar. Todos os serviços adiados vão ser reagendados para os próximos dias. A Prefeitura do Recife será notificada na tarde de hoje.

De acordo com o Sindicato dos Médicos, a categoria pede melhorias na segurança das unidades de saúde, abastecimento de insumos e investimentos em medicamentos, na área de saúde mental, exames complementares equipamentos.

Residentes do HGV em greve

Os médicos residentes do Hospital Getúlio Vargas (HGV), no bairro do Cordeiro, Zona Oeste do Recife, decidiram decretar greve por tempo indeterminado nesta segunda-feira (17). A paralisação acontece para denunciar as condições precárias de atendimento, a falta de insumos básicos para a realização de procedimentos médicos e a ausência de medicamentos.

Já a direção do HGV informou, através de nota, que está abastecida dos insumos necessários para as cirurgias e que as faltas são pontuais, havendo um esforço da gestão para resolver caso a caso. O hospital também afirma que, com um curto-circuito no ar-condicionado do Centro de Material e Esterilização (CME), no último dia 8, foi necessário interromper algumas cirurgias enquanto toda área era higienizada, evitando qualquer risco para os pacientes. Mas, segundo a coordenação do centro de saúde, a situação do CME já foi normalizada.

O HGV também se posicionou sobre a paralisação dos residentes na mesma nota. A direção explicou que vem dialogando com os representantes da categoria para resolver a situação e, com isso, não prejudicar os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). O hospital também garantiu que, durante a greve, os procedimentos cirúrgicos estão realizado pelos preceptores, dentro da capacidade da equipe.

Finalizando, o hospital afirmou em nota que nos próximos dias será entregue a nova emergência da unidade, com 100 leitos, com o objetivo de trazer mais conforto para pacientes, acompanhantes e profissionais de saúde que atuam no HGV.


Mais Lidas