AGRESTE

Quadrilha interestadual pode ter explodido agência da Caixa de Gravatá


Os criminosos explodiram quatro dos dez caixas eletrônicos da agência da Caixa Econômica Federal de Gravatá e fugiram com o dinheiro

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 21/09/2018 às 10:41
Sem Crédito
FOTO: Sem Crédito
Leitura:

A polícia investiga o envolvimento de quadrilha interestadual na explosão de terminais eletrônicos da Caixa Econômica de Gravatá, em Agreste de Pernambuco, ocorrida na madrugada desta quarta-feira (20). Os peritos da Polícia Federal passaram a quinta-feira (20) coletando vestígios da ação do grupo na agência localizada na Praça Arão Lins, no centro da cidade, e pelo menos oito homens encapuzados e fortemente armados participaram da ação que durou cerca de 15 minutos.

Dos dez caixas eletrônicos, quatro foram destruídos pela explosão e o dinheiro levado pelos assaltantes. Para evitar qualquer revés da polícia, os integrantes da quadrilha efetuaram vários disparos.

A agência da Caixa Econômica Federal de Gravatá deve retomar o atendimento ao público na próxima semana. Giovani Santoro, chefe de comunicação social da Polícia Federal em Pernambuco afirma que os envolvidos sabiam manusear explosivos:

Ação criminosa violenta

Agência destruída
Agência destruída
Guga Matos/JC Imagem

A explosão nos terminais eletrônicos destruiu também parte da agência da Caixa Econômica Federal de Gravatá.

Um taxista e um caminhoneiro que passaram no local na hora do crime foram feitos de refém e liberados em seguida. De acordo com os moradores, o grupo fugiu em três carros e até agora o veículo não foi localizado nem ninguém preso.

Entre o material a ser analisado pela Polícia Federal estão imagens de câmeras de monitoramento. Uma delas chegou a ser destruída a bala assim que o assaltante encapuzado percebeu que tinha sido filmado.

Nas imagens, é possível ver que um taxista foi rendido pelo grupo após a explosão na agência da Caixa Econômica Federal de Gravatá. Ele foi obrigado a ficar somente de cueca e depois se ajoelhar na pista enquanto a quadrilha finaliza a ação. Segundos depois, um caminhoneiro surge de mãos ao alto, sem saber direito o que ocorreu.

Cícero Ferreira diz que o motorista de táxi chegou a ser agredido com um chute no rosto e ficou sangrando:

Casa de vizinho teve a estrutura afetada pela explosão
Casa de vizinho teve a estrutura afetada pela explosão
Guga Matos/JC Imagem

Prejuízo também na sala e cozinha da residência vizinha ao banco, como contou o morador José Bezerra em entrevista à repórter Cinthia Ferreira:


Mais Lidas