play_circle_outline
Movimento

Marcelo Araújo

access_time

00:00

Madrugada Comando Geral

Tony Araújo

access_time

01:00

Debate da Super Manhã

Geraldo Freire

play_circle_outline
Movimento

Marcelo Araújo

access_time

00:00

Madrugada Comando Geral

Tony Araújo

access_time

01:00

Debate da Super Manhã

Geraldo Freire

search close
Eleições

Em debate no Recife, presidente afastado do PSL compara Bolsonaro a Gandhi

Debate da Rádio Jornal teve presença do deputado eleito pelo PSL, Luciano Bivar, e do presidente do PT-PE, Bruno Ribeiro

Em debate no Recife, presidente afastado do PSL compara Bolsonaro a Gandhi
Luciano Bivar (PSL) e Bruno Ribeiro (PT) - Foto: Filipe Jordão/JC Imagem

Durante debate entre representante dos candidatos à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), o presidente licenciado e deputado federal eleito pelo PSL em Pernambuco, Luciano Bivar, comparou o correligionário ao líder indiano Mahatma Gandhi. Já o presidente do PT em Pernambuco, Bruno Ribeiro, defendeu Haddad e disse que Bolsonaro incita o ódio entre os brasileiros.

Representando os candidatos ao planalto, os dois mantiveram um tom amistoso, mas não trouxeram propostas ao debate, com maior troca de acusações. O embate foi travado durante o Debate da Super Manhã da Rádio Jornal nesta terça-feira (16), com Geraldo Freire.  Ouça o debate completo:

Bivar compara Bolsonaro com Gandhi

Luciano Bivar traçou uma comparação entre o ativista da não-violência Mahatma Gandhi e o candidato Jair Bolsonaro. Bivar traçou o comparativo com o objetivo de justificar a posse de arma, uma das propostas na pauta do presidenciável. "Mahatma Gandhi pregava a paz e foi esfaqueado em praça pública. Você encontra um doido na rua que faz isso. É preciso uma arma para se defender. Eu tenho uma casa na praia e preciso de uma arma", disse Luciano Bivar.

O deputado federal eleito defendeu a "pressa" de Bolsonaro de adiantar nomes para os futuros ministérios, caso seja eleito. Para Bivar, Haddad não quer adiantar indicados porque "todos os nomes que ele tem são sujos".

Ribeiro diz que Bolsonaro 'incita o ódio'

"Ele tem criado um clima muito difícil para o país. Ele tem feito lives de facebook, dado entrevistas na rádio e na Record. Ele tem direito de rebater essas acusações, democraticamente. Bolsonaro cuida da família dele, ele tem três filhos homens que ele colocou na política. Ele chama a quarta filha de 'fraquejada'. Eu sonhei em ter uma menina e não tive. Eu tenho três homens que trabalham. A família brasileira não terá ele como presidente", diz Bruno Ribeiro.

Bruno Ribeiro alegou ainda que o candidato do PSL desrespeita repetidas vezes a democracia. "O PT não é uma seita, fomos tão democratas que fomos alvos de uma violência, com Dilma sendo deposta", disse. Acusando Bolsonaro de tentar 'roubar a bandeira do Brasil', Ribeiro disse os adversários tentam enganar o eleitor. "Eles não vão tomar conta da nossa bandeira, a bandeira brasileira é nossa, de todos nós", completou.


COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.