play_circle_outline
Debate da Super Manhã

Geraldo Freire

access_time

02:40

Super Manhã / Passando a limpo

Geraldo Freire

access_time

03:20

Consultório do Rádio Livre

Anne Barretto

play_circle_outline
Debate da Super Manhã

Geraldo Freire

access_time

02:40

Super Manhã / Passando a limpo

Geraldo Freire

access_time

03:20

Consultório do Rádio Livre

Anne Barretto

search close
TEATRO

Peça com travesti no papel de Jesus é retirada do Janeiro de Grandes Espetáculos

A peça O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu já havia sido rifada da programação do FIG em julho. Produtores do Janeiro de Grandes Espetáculos alegaram "questões que extrapolam os critérios artísticos" para a retirada da peça da programação

Com informações do Blog Social 1
A atriz Renata Carvalho em encenação de
A atriz Renata Carvalho em encenação de O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu
Foto: reprodução

O Janeiro de Grandes Espetáculos, que anunciou na sexta-feira (21) a programação do festival de teatro em 2019, voltou atrás na seleção da peça O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu, monólogo interpretado pela atriz travesti Renata Carvalho. “Por questões que extrapolam os critérios artísticos, o espetáculo, que já motivou ações judiciais e passou por outros cancelamentos, infelizmente não estará mais na grade do Janeiro 2019”, lê-se em nota enviada pelo festival pela assessoria de imprensa, neste domingo (23).

Leia a íntegra:

De forma a garantir a realização do 25º Janeiro de Grandes Espetáculos, a Associação dos Produtores de Artes Cênicas de Pernambuco (Apacepe) informa a retirada da peça “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu” da programação do festival. Por questões que extrapolam os critérios artísticos, o espetáculo, que já motivou ações judiciais e passou por outros cancelamentos, infelizmente não estará mais na grade do Janeiro 2019. A Apacepe reitera seu compromisso com a liberdade de expressão e mantém seu propósito de abrir as portas para toda e qualquer manifestação artística.
Apacepe

Apesar de não especificar os motivos extra-artísticos, mas ao relembrar, na nota, ações judiciais que levaram a outros cancelamentos da peça, a Apacece parece resguardar-se de alguma ameaça de falta de apoio ou protesto conservador; ou então já teria sofrido, e por isso a recuada.

Em julho, O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu, escalada para a programação teatral do Festival de Inverno de Garanhuns, virou ré de cristãos conservadores, ao ser cancelada pela Fundarpe, por pressão do prefeito da cidade, Izaías Régis, que aderiu às críticas dos garanhuenses e, às vésperas eleitorais, conseguiu lado do Governo do Estado.

No imbróglio do FIG, a peça acabou reintegrada à programação após decisão do Tribunal de Justiça de Pernambuco, a favor de pilares constitucionais como são a liberdade de expressão artística e o Estado laico. No entanto, sua encenação foi realizada de forma precária e conturbada, devido à mandado de segurança expedido de última hora, contra a liminar do TJPE, assinado pela Ordem dos Pastores Evangélicos de Garanhuns e região.

A peça

O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu foi apresentado no Recife, em junho, durante o festival Trema!, e propõe aos espectadores refletirem sobre a seguinte indagação: “E se Jesus voltasse nos dias de hoje como uma travesti?”.

A questão, na verdade, resgata os ideais cristãos, aqueles mesmos ensinados por Jesus Cristo, quando, segundo a Bíblia, acolheu pecadores, humilhados e marginalizados da sociedade de então – sendo ele mesmo um dos excluídos da época. E quem são, hoje, os excluídos?


COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.