play_circle_outline
Movimento

Marcelo Araújo

access_time

00:00

Madrugada Comando Geral

Tony Araújo

access_time

01:00

Debate da Super Manhã

Geraldo Freire

play_circle_outline
Movimento

Marcelo Araújo

access_time

00:00

Madrugada Comando Geral

Tony Araújo

access_time

01:00

Debate da Super Manhã

Geraldo Freire

search close
JUSTIÇA

Justiça bloqueia bens de Cabral, Pezão e de quatro deputados do Rio

Decisão contra os ex-governadores do Rio, Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão, além dos deputados foi tomada por suspeita de improbidade administrativa

Justiça bloqueia bens de Cabral, Pezão e de quatro deputados do Rio
Prédio da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro - Foto: Agência Brasil
Da Agência Brasil

A juíza Roseli Nalin, da 15ª Vara de Fazenda Pública do Rio de Janeiro, determinou o bloqueio e indisponibilidade de bens de seis políticos, entre os quais os ex-governadores Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão e o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Rio Jorge Picciani por suspeita de improbidade administrativa. 

A decisão partiu de um pedido do Ministério Público estadual, que tinha ajuizado em dezembro uma ação civil pública contra dez envolvidos em irregularidades em doações de campanha do então governador Luiz Fernando Pezão, do ex-governador Sérgio Cabral e de deputados estaduais em troca da concessão de benefícios fiscais e financeiros, que teriam financiado o grupo político.

Na decisão, a juíza Roseli Nalin escreveu que “através da utilização indevida da máquina estatal os réus beneficiaram ao arrepio da lei, diversas sociedades empresariais com incentivos fiscais e financeiros em troca de propina, sendo que parte desses recursos ilícitos foi utilizada em proveito dos réus, para financiar a campanha majoritária do MDB ao governo do estado (chapa Pezão/Dornelles), bem como do então candidato a deputado federal Marco Antônio Cabral, pelo mesmo partido”, disse.

A magistrada disse na decisão que houve financiamento ilícito de campanha do então deputado estadual Chistino Áureo, por meio do diretório nacional do PSD e pagamentos indevidos ao PDT, todos relativos às eleições de 2014. “Os fatos praticados constituem improbidade administrativa, tendo causado dano ao erário e enriquecimento ilícito do grupo, formando ciclo vicioso que em última seara, visou à perpetuação dos mesmos no poder político do Estado”, escreveu a juíza Roseli Nalin.

Bloqueio das contas

Nas contas bancárias, Pezão teve bloqueados R$ 31 milhões; Sérgio Cabral Filho, R$ 33 milhões;  Jorge Picciani , R$ 40 milhões; Hudson Braga, R$ 31 milhões;  Christino Áureo da Silva, R$ 12 milhões e o deputado federal Marco Antônio Cabral, R$ 12 milhões. A Justiça determinou também o bloqueio de R$ 37 milhões do MDB, R$ 900 mil do PDT e R$ 25 mil do PSD.


COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.