play_circle_outline
Balanço de Notícias

Wagner Gomes e Igor Maciel

access_time

18:00

A Hora do Ângelus

Ave Maria

access_time

18:05

Bola Rolando

Ednaldo Santos

play_circle_outline
Balanço de Notícias

Wagner Gomes e Igor Maciel

access_time

18:00

A Hora do Ângelus

Ave Maria

access_time

18:05

Bola Rolando

Ednaldo Santos

search close
OBRAS

Após acidentes, obras na BR-101 são retomadas

Serviço teve início em 2017 mas foi paralisado devido a questionamentos do TCU

A paralisação das obras neste trecho da BR-101 foi alvo de protestos
A paralisação das obras neste trecho da BR-101 foi alvo de protestos
Bobby Fabisak/ JC Imagem

A obra de recuperação da br-101 contempla um trecho de 30 km da rodovia, que vai de Jaboatão dos Guararapes até o município do Paulista, na Região Metropolitana do Recife.

 Desse total, 20 km já tiveram os serviços concluídos. O que falta é terminar a pista principal.  A secretária de Infraestrutura e Recursos Hídricos do estado, Fernanda Batista, explica o que será feito nessa nova etapa.

“A gente pretende terminar a pista principal até o final de fevereiro e as obras complementares até o final de novembro de 2019. Será iniciada em janeiro a questão da sinalização definitiva”, disse.

Ouça os detalhes com Camila Brandão

 Protesto

A paralisação das obras neste trecho da BR-101 foi alvo de protestos de moradores do bairro do Engenho do Meio, Zona Oeste do Recife, devido aos acidentes causados na via.  A secretária Fernanda Batista conta que o Governo do estado decidiu suspender as obras por alguns dias para esclarecer cada questionamento estabelecido.

 Além da redução de acidentes, o intuito dos reparos também é diminuir o tempo de percurso dos motoristas.

As obras na BR-101 foram iniciadas em maio de 2017, com verbas dos Governos Federal e Estadual. No trecho, cerca de 70 mil veículos circulam por dia. O serviço teve o prazo prorrogado algumas vezes e, em dezembro de 2018, o tribunal de contas da união bloqueou a liberação de mais recursos e pediu que fosse feita uma revisão no projeto executivo. Apesar disso, o TCU afirma que, em momento algum, determinou que as obras fossem paralisadas.


COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.