LEI SECA

PMs suspeitos de montar falsa blitz têm prisão preventiva decretada


Policiais montaram a falsa blitz da Operação Lei Seca nas imediações da Praça do Relógio, em Porto de Galinhas

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 21/01/2019 às 18:10
Secretaria de Saúde/Divulgação
FOTO: Secretaria de Saúde/Divulgação
Leitura:

Os policiais militares autuados em Ipojuca realizando uma falsa blitz tiveram a prisão flagrante convertida em prisão preventiva após audiência de custódia realizada nesta segunda-feira (21), no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, no bairro de Joana Bezerra, na área central Recife.

Os sete policiais militares foram autuados por crime militar. Lázaro Barbosa de Lima, Rogério Dias do Nascimento, Cláudio Rodrigues da Silva, Maurílio Sebastião Toledo da Silva Filho, Edson Alves de Souza, Marcos Antônio de Oliveira Júnior e Denis de Andrade Moura Júnior serão encaminhados para o Centro de Reeducação da Polícia Militar de Pernambuco (Creed).

Relembre o caso

Sete policiais militares do 18º Batalhão da Polícia Militar serão submetidos à audiência de custódia nesta segunda-feira (21). Eles são suspeitos de montar um bloqueio falso da Operação Lei Seca, nas imediações da Praça do Relógio, em Porto de Galinhas, Ipojuca, no litoral sul pernambucano.

Na abordagem, inclusive com um bafômetro, eles cobravam entre R$ 1.000 e R$ 1.500 reais dos motoristas.

O grupo foi preso no sábado (19) após um motorista denunciar a extorsão. Os PMs paravam entre 10 e 15 carros, em média, por noite, e simulavam a Operação Lei Seca.


Mais Lidas