ÔNIBUS

Grupo protesta contra aumento das passagens no centro do Recife


O Sindicato das Empresas de Ônibus de Pernambuco (Urbana-PE) propôs um aumento de 16% nas passagens de ônibus

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 24/01/2019 às 12:59
Bobby Fabisack/ JC Imagem
FOTO: Bobby Fabisack/ JC Imagem
Leitura:

Um grupo realiza um protesto contra o aumento das passagens de ônibus proposto pelo Sindicato das Empresas de Ônibus de Pernambuco (Urbana-PE) de 16%. Com o reajuste, o anel A sairia de R$ 3,20 para R$ 3,70 e o anel B de R$ 4,40 para R$ 5,10. O ato foi articulado pela Frente de Luta pelo Transporte Público.

O coordenador da Frente, Pedro Joseph, critica a proposta. “É importante deixar claro que, nos últimos 10 anos, todos os aumentos de passagem que foram efetivados nesse período foram acima do IPCA, que é o índice oficial previsto pelo manual de operações do Grande Recife. Então esses últimos aumentos todos foram ilegais”, explicou.

Confira os detalhes no flash de Denis Cavalcanti:

Suspensão de reunião

A Frente de Luta pelo Transporte Público entrou na justiça com um mandado de segurança pedindo a suspensão da reunião que será realizada nesta sexta-feira (25) do Conselho Superior de Transporte Metropolitano. “Nós da sociedade civil não tivemos oportunidade de apresentar uma contraproposta. A Urbana apresentou uma proposta de 16,18%, o governo apresentou na terça-feira uma proposta de 7,07% e nós usurários da sociedade civil, que fomos eleitos conselheiros para participar do espaço, não tivemos oportunidade de apresentar nossa proposta”, disse.

Aumento

A reunião do CSTM, que vai definir o reajuste nas passagens, acontece nesta sexta-feira (25). Enquanto o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE) defende um aumento de 16,18%, o Grande Recife Consórcio de Transporte sugere um reajuste de 7,07% no valor da passagem, em que o Anel A passaria dos atuais R$ 3,20 para R$ 3,45; o B, de R$ 4,40 para R$ 4,70; e o G, de R$ 2,10 para R$ 2,25. Já o Anel D, cuja tarifa é R$ 3,45, deixará de existir e as quatro linhas que o compõem passarão a ter como tarifa o Anel A.

A Frente de Luta pelo Transporte Público, por sua vez, sustenta que a proposta do Urbana-PE é acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial, que foi acumulado em 3,75% entre dezembro de 2017 e do ano passado, e está projetada em 4,01% em 2019.


Mais Lidas