SAÚDE

Após chuva forte e alagamentos, SES alerta para risco de leptospirose


A leptospirose é transmitida pela urina do rato. Além disso, bovinos, suínos e cães também podem adoecer e transmitir a leptospirose ao homem

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 29/01/2019 às 14:09
JC Imagem
FOTO: JC Imagem
Leitura:

Com o aumento do volume de chuvas e áreas alagadas, o número de casos de leptospirose também cresce. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), neste mês, foram notificados cinco casos de leptospirose no estado, sendo um já descartado. No mesmo período de 2018, foram 44 notificações, com dez confirmações e 29 descartes.

O coordenador estadual de zoonoses, Francisco Duarte, alerta que é de extrema importância a prevenção e explica como deve ser feito.

Francisco Duarte também afirma que os sintomas podem ser percebidos entre os primeiros sete e quatorze dias após a contaminação. Qualquer pessoa que tenha tido contato com a água ou lama contaminada deve ficar atento aos sintomas.

Contaminação

O contato com água ou lama de esgoto, lagoas ou rios contaminados e terrenos baldios com a presença de ratos também pode facilitar a transmissão da leptospirose. Bovinos, suínos e cães também podem adoecer e transmitir a leptospirose para humanos.


Mais Lidas