CASO ALDEIA

"Acredito em Deus e na Justiça", diz filho acusado de matar Denirson Paes

Essa é a primeira vez que Danilo Paes, filho mais velho e acusado de matar o médico Denirson Paes, fala à imprensa após deixar a cadeia

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 01/02/2019 às 17:15
Reprodução/ Facebook
FOTO: Reprodução/ Facebook
Leitura:

Em um vídeo divulgado à imprensa nesta sexta-feira (1º), o engenheiro Danilo Paes, de 23 anos, resolveu quebrar o silêncio. Ele é acusado de participar da morte do pai, o médico Denirson Paes. Essa é a primeira vez que Danilo fala, depois que saiu do Complexo Prisional do Curado, na Zona Oeste do Recife, em dezembro do ano passado.

No vídeo, o engenheiro aparece com o semblante tranquilo e sereno e afirma que é inocente e que viveu momentos de terror na prisão. Danilo Paes disse ainda que a mãe, Jussara Paes, mentiu e espera que ela pague pelo crime que cometeu.

De acordo com Rafael Nunes, advogado do engenheiro, Danilo não falou antes porque não tinha condições psicológicas de se pronunciar.

Confira os detalhes na reportagem de Cristiano Bassan:

Veja o vídeo:

Danilo Paes aguarda o julgamento em liberdade, por não oferecer riscos às investigações.

Relembre o caso

O corpo do médico cardiologista e advogado Dernirson Paes da Silva, 54, foi encontrado no dia 4 de julho, em um poço na casa pertencente à família, em Aldeia, Camaragibe, Região Metropolitana do Recife. O cadáver estava em avançado estado de decomposição. A esposa da vítima, Jussara Rodrigues da Silva Paes, e o filho mais velho, Danilo Paes, foram acusados de cometer o crime. Jussara está presa na Colônia Penal Feminina do Bom Pastor, no bairro de Engenho do Meio, na Zona Oeste do Recife.

Segundo as investigações, Denirson Paes desapareceu no dia 31 de maio. A esposa disse que a última informação do marido era que ele tinha feito uma viagem internacional e não teria retornado, mas a Polícia apontou que a vítima teria cancelado a viagem, anteriormente marcada para o dia 2 de junho.

» Linha do tempo do crime:

- 30/05 - Cancelamento da viagem para EUA (que aconteceria dia 02/06). O médico, inclusive, solicita à sua secretária que a agenda no consultório particular fosse mantida.

- 31/05 - Desaparecimento;

- 12/06 - Suspeita manda funcionário confeccionar tampa para a cacimba e o mesmo identifica um forte odor e moscas saindo do local. A mulher argumenta que jogou um gato morto dentro do poço.

- 20/06 - Registro do desaparecimento na Delegacia de Camaragibe;

- 03/07 - Representação pelo Mandado de Busca e Apreensão;

- 04/07 - Restos mortais são encontrados na cacimba da casa da família;

- 04/07 - Autuação em flagrante por ocultação de cadáver;

- 05/07 - Decretação da prisão temporária por homicídio qualificado e ocultação.

Mais Lidas