CASO ALDEIA

Acusados de matar o médico Denirson Paes serão levados a júri popular

A esposa e o filho mais velho do cardiologista serão julgados por homicídio e ocultação de cadáver

Fellipe Leandro
Fellipe Leandro
Publicado em 11/02/2019 às 22:14
Reprodução/ Facebook
FOTO: Reprodução/ Facebook
Leitura:

Os acusados de matar o médico cardiologista Denirson Paes da Silva, de 54 anos, vão ser levados a júri popular. A esposa Jussara Rodrigues da Silva Paes, de 55 anos, e o filho Danilo Paes Rodrigues, 23, serão julgados por homicídio e ocultação de cadáver. A decisão foi da juíza da 1ª Vara Criminal da Comarca de Camaragibe, Marília Falcone Gomes. O julgamento ainda não tem data marcada.

O corpo de Denirson foi encontrado esquartejado e parcialmente carbonizado dentro de um poço no residencial onde ele morava junto com a família em Aldeia, em maio de 2018.

Segundo o o Tribunal de Justiça, em relação às qualificações do crime, a magistrada decidiu que cabe ao conselho de sentença deliberar sobre o caso. A decisão da prisão preventiva da ré e a liberdade provisória do réu, também foram mantidas.

De acordo com a denúncia, a esposa não aceitava o fim do relacionamento com Denirson além de ter interesse no patrimônio, o que poderia ter motivado o crime. A defesa e acusação terão até cinco dias, assim que receber a intimação, para a apresentação do quadro de testemunhas e poderá anexar documentos à ação e requerer diligências.

Relembre o caso

O cardiologista Denirson Paes da Silva, de 54 anos, foi visto pela última vez no dia 31 de maio chegando em sua residência. No dia 20 de junho, a esposa do médico havia registrado um boletim de ocorrência relatando o desaparecimento dele. Após investigações, a polícia desconfiou de Jussara e do filho mais velho do casal, Danilo Paes, e solicitou um mandado de busca e apreensão no condomínio onde a família morava. Lá, foram encontrados os restos mortais do cardiologista, no dia 4 de julho.

No dia 5 de julho foi decretada a prisão temporária dos dois. Jussara segue na Colônia Penal Feminina do Bom Pastor e o filho mais velho, Danilo Paes, segue em liberdade provisória.

Após inicialmente ter negado, a farmacêutica Jussara Paes Rodrigues, de 55 anos, confessou, em depoimento à Polícia, o assassinato e ocultação do cadáver do cardiologista Denirson Paes. Ela afirmou que fez tudo sozinha e sem a ajuda do filho mais velho do casal, Danilo, de 23 anos.

No dia 14 de setembro, a reprodução simulada da morte do médico Denirson Paes da Silva comprovou a autoria da farmacêutica Jussara Paes, no assassinato do marido. A reconstituição, porém, não descartou a participação de Danilo Rodrigues. Ao todo, foram mais de 10h de trabalho até que todas as alternativas possíveis do crime fossem verificadas.

Mais Lidas