Recife

Adolescente é encontrado em casa de suspeito de pedofilia, no Arruda


Na casa do suspeito, que fugiu, materiais pornográficos foram encontrados

Pedro Guilhermino Alves Neto
Pedro Guilhermino Alves Neto
Publicado em 12/02/2019 às 11:57
Reprodução / TV Jornal
FOTO: Reprodução / TV Jornal
Leitura:

A Polícia Civil de Pernambuco procura um homem suspeito de pedofilia ao abusar de um garoto de apenas 13 anos que estava desaparecido há 15 dias e foi encontrado na noite desta segunda-feira (11).

Na casa do suspeito, no bairro do Arruda, Zona Norte do Recife, também foram encontrados materiais pornográficos envolvendo menores de idades. O desaparecimento do garoto de 13 anos já estava sendo investigado pelo Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA) e, de acordo com a polícia, a queixa foi registrada seis dias depois que o menino saiu de casa.

Segundo o delegado Ademir de Oliveira, o garoto fugiu para morar com o suspeito que conheceu há seis meses. “O adolescente fugiu de casa, e esse é o termo correto, a fuga do lar, há cerca de 14 dias. Há uma semana, a família veio no DPCA e noticiou o fato. Nós registramos, fizemos as fotos, divulgamos e, de acordo com a própria família, ele já fez isso antes e costuma desaparecer de casa”, explicou o delegado. “Ele conheceu essa pessoa numa praia, em Olinda, e começou a encontrá-lo. Por volta de 14 dias atrás ele saiu de casa para ficar na desse indivíduo”, finalizou.

Os familiares, preocupados, espalharam cartazes em vários locais e, na segunda-feira, receberam a informação de que ele estaria na comunidade de Saramandaia, no bairro do Arruda. O garoto foi encontrado no quarto do suspeito. No momento, o homem havia saído da residência para comprar pizza e fugiu ao perceber a presença da polícia. Na casa dele, foi encontrado um celular com vários vídeos e fotos intimas do próprio suspeito com vários adolescentes. Nas redes sociais, o homem costuma seguir os perfis de meninos bens jovens.

Crimes

Segundo a polícia, o suspeito pode responder por diversos crimes, entre eles pedofilia e estupro de vulnerável, como explica o delegado. “A nossa Lei Penal prevê que, a partir dos 14 anos de idade, qualquer pessoa, de qualquer orientação sexual, pode dispor de seu corpo para manter relações sexuais com qualquer pessoa. No entanto, se ele tiver menos de 14 anos, caracteriza um crime chamado de estupro de vulnerável e, se for caracterizado essa situação, será autuado pelo crime, que prevê uma pena de até 15 anos de reclusão”, informou o delegado.

Se for comprovado que o homem compartilhou as fotos e vídeos íntimos, ele também vai responder pelo crime de pornografia infantil. O adolescente e a mãe foram ouvidos na Delegacia da Mulher durante a madrugada. O inquérito vai ser investigado pelo DPCA.


Mais Lidas