Política

Mais uma candidata do PSL denunciada em suposto esquema de laranjas


É a segunda suspeita de crime eleitoral envolvendo integrantes do PSL

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 13/02/2019 às 15:45
Imagem de Arquivo/Agência Brasil
FOTO: Imagem de Arquivo/Agência Brasil
Leitura:

Érika Santos, candidata do PSL de Pernambuco, foi acusada de atuar como laranja nas Eleições de 2018. A denúncia foi feita hoje (13) pelo Jornal Folha de São Paulo. Érika concorreu ao cargo de Deputada Estadual. Ela recebeu R$ 250 mil do partido e teve apenas 1.315 votos.

No domingo, a Folha de São Paulo denunciou Lourdes Paixão – outra candidata do PSL. Lourdes concorreu ao cargo de Deputada Federal e teria recebido R$ 400 mil de recursos eleitorais 4 dias antes do pleito, e teve apenas 274 votos.

Tanto Lourdes quanto Érika teriam repassado o dinheiro recebido para a Gráfica Itapissu, localizada no bairro do Arruda. Só que o endereço que consta na nota fiscal não tem nenhuma gráfica em funcionamento.

Polícia Federal

Diante dos fatos, a Polícia Federal marcou um depoimento para amanhã, mas por enquanto apenas Lourdes vai prestar esclarecimentos.

Giovani Santoro, chefe de comunicação da Polícia Federal, esclareceu qual será o procedimento a seguir. “O depoimento prestado será enviado para a Justiça Eleitoral, que é a justiça competente para requisitar ou não uma investigação à Polícia Federal. Sendo requisitado uma investigação, a gente instala um inquérito policial e essa Deputada passa a ser investigada”, detalhou.

Impugnação

Através de nota, a Procuradoria Regional Eleitoral de Pernambuco (PRE-PE) informou que propôs uma ação de impugnação de contas eleitorais contra Lourdes Paixão. Disse ainda que a ação é para esclarecer os fatos e elucidar eventuais irregularidades relacionadas à candidatura.

Ouça a reportagem completa:


Mais Lidas