LIMINAR

Homem que invadiu casa em Porto de Galinhas deixa a propriedade


O homem estava morando no local desde o ano passado com a família sem a autorização da proprietária

Informações da TV Jornal
Informações da TV Jornal
Publicado em 15/02/2019 às 21:33
Reprodução/ TV Jornal
FOTO: Reprodução/ TV Jornal
Leitura:

Após uma liminar expedida na última sexta-feira (8), o homem que invadiu uma casa em Porto de Galinhas deixou o imóvel. A Justiça determinou que o invasor deixasse a casa em cinco dias e, nessa quarta-feira (13), o imóvel foi liberado. Até a quarta-feira, a pernambucana Ainoã Edney, proprietária da residência, ainda não havia adquirido as chaves para entrar no local.

"Nós já tínhamos tentado exaustivamente tentado todo o tipo de acordo para ele se retirar do imóvel voluntariamente, extrajudicialmente. Como não foi possível, nós ajuizamos a ação de reintegração de posse e conseguimos a concessão da liminar na sexta-feira passada para que ele se retirasse voluntariamente no prazo de cinco dias", explicou a advogada da proprietária. A advogada disse também que uma análise foi feita no local para saber quais foram as mudanças realizadas. "Tecnicamente um engenheiro já fez uma análise e viu que realmente houve um prejuízo e deterioração em parte do imóvel e alguns outros danos que vamos verificar com a perícia no imóvel para saber até que ponto ele vai reparar a minha cliente", afirmou.

Invasão

O homem, que não teve identidade revelada, invadiu a propriedade há aproximadamente 6 meses. Ainoã, que mora nos Estados Unidos, foi informada do fato pelo irmão. Por meio de mensagens em um aplicativo de mensagens, o homem disse que o local foi tomado por usuários de drogas. "A sua casa estava totalmente aberta. Roubaram toda a ação e até os vasos sanitários foram arrancados. Eu peguei aqui dentro quatro 'negócios' de droga, o tal do cachimbo, e mostrei aos vizinhos para que fossem testemunhas'', disse

Segundo Ainoã, várias modificações foram feitas durante o período. "Foi tudo mudado. Eu estou com medo de entrar [na casa] para ver como realmente vai ficar, mas é revoltante. Alguém invadir, morar com a família e ter coragem de deixar o imóvel desse jeito", declarou a proprietária.


Mais Lidas