MARÇO AMARELO

Campanha Março Amarelo alerta mulheres sobre a endometriose

A doença tem ligação com os hormônios femininos e pode também prejudicar a gravidez

Pedro Guilhermino Alves Neto
Pedro Guilhermino Alves Neto
Publicado em 11/03/2019 às 10:22
Reprodução da internet
FOTO: Reprodução da internet
Leitura:

O mês de março marca a campanha “Março Amarelo”, que trata da conscientização sobre a doença da endometriose, que ataca as mulheres e acomete o útero. A doença tem ligação com os hormônios femininos e pode também prejudicar a gravidez.

O ginecologista Mauro Aguiar fala sobre a doença. “A endometriose é uma doença benigna caracterizada pela presença de um tecido chamada endométrio que só deveria existir dentro da cavidade uterina. Na endometriose, esse tecido começa a surgir em outros locais fora do útero, no ovário e no intestino. A presença desse tecido no lugar errado faz com que essas pacientes desenvolvam essa doença”, explicou.

O médico fala também sobre os sintomas da doença. “A endometriose é dita como silenciosa porque seus sintomas muitas vezes são confundidos pela paciente e pelo médico geral. A paciente que tem a doença normalmente tem um quadro muito típico de dor ao menstruar, essa dor é progressiva e vai se tornando incapacitante com o tempo, mas na nossa sociedade é muito comum a mulher julgar que a cólica menstrual é um sintoma normal, que não tem ligação com doença e isso atrasa o diagnóstico”, afirmou.

A endometriose pode afetar a gravidez. “Acredita-se que metade das pacientes que tenham infertilidade sem causa aparente, na verdade elas têm endometriose e é uma doença que é muito sacrificante para a qualidade de vida da mulher nesse sentido, porque ela além de ter uma vida dificultada pela dor, também tem uma dificuldade para realizar o sonho de ser mãe”, finalizou.

Recomendações

Diante de sintomas de cólica menstrual ou dificuldade de engravidar, a recomendação é que a mulher procure um ginecologista para que possa ser tratada de forma adequada.

Casos diagnosticados

Só no Brasil, já foram diagnosticados anualmente mais de seis milhões de casos da doença.

Mais Lidas