Major Olímpio diz que professores armados evitariam massacre em Suzano

Nesta quarta-feira (13), um massacre em uma escola estadual em Suzano, em São Paulo, deixou dez pessoas mortas

MASSACRE
Major Olímpio diz que professores armados evitariam massacre em Suzano

Major Olímpio (PSL) é um dos defensores da revogação do Estatuto do Desarmamento - Foto: Agência Brasil

Em resposta ao massacre que deixou dez pessoas mortas na Escola Estadual Professor Raul Brasil em Suzano, na região metropolitana de São Paulo, o senador Major Olímpio (PSL-SP) afirmou nesta quarta-feira (13) que o crime teria sido evitado caso os funcionários da escola estivessem armados. A informação é da Folha de São Paulo.

"Se os professores estivessem armados, e se os serventes estivessem armados, essa tragédia de Suzano teria sido evitada", afirmou o senador Olímpio durante reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado. "Se tivesse um cidadão com arma regular dentro da escola, professor, servente, um policial militar aposentado, ele poderia ter minimizado o tamanho da tragédia. Vamos, sem hipocrisia, chorar os mortos e discutir a legislação, e onde estamos sendo omissos", completou.

Uma das principais pautas do senador Major Olímpio é a revogação do estatuto do desarmamento e a redução da maioridade penal.

Em nota, Major Olímpio acrescentou que "a política desarmamentista fracassou" e que não pode "deixar que os aproveitadores se utilizem da tragédia para falar que o desarmamento é solução, essas armas são ilegais e foram obtidas e usadas por adolescentes".

Massacre de Suzano

Na manhã desta quarta-feira (13), um adolescente de 17 anos e um homem de 25 entraram na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na Região Metropolitana de São Paulo, e mataram oito pessoas, entre alunos e funcionários.

Os autores do crime são Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Henrique de Castro, de 25 anos, se mataram em seguida. Ainda não se sabe o que motivou o ataque e qual era o vínculo dos autores com a escola. No local, a Polícia Militar encontrou um revólver 38, uma besta (um artefato com arco e flecha), objetos que parecem ser coquetéis molotov e uma mala com fios.

Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Henrique de Castro, de 25, estavam em um carro branco alugado, estacionaram em frente ao portão do colégio e entraram pela porta da frente, que estava aberta.