INVESTIGAÇÃO

Perícia: disparos que mataram família pernambucana no Ceará saíram de fuzis

De acordo com o laudo pericial, os assaltantes não utilizaram fuzis na ação; caso aconteceu em dezembro de 2018

Pedro Guilhermino Alves Neto
Pedro Guilhermino Alves Neto
Publicado em 15/03/2019 às 11:10
Foto: Edson Freitas/ reprodução Blog do Nil Jr
FOTO: Foto: Edson Freitas/ reprodução Blog do Nil Jr
Leitura:

O laudo da perícia forense do Ceará, que investigou de onde saíram os tiros que atingiram uma família pernambucana feita de refém em um assalto a banco na cidade de Milagres, no interior cearense, partiu de fuzis. O caso aconteceu em dezembro do ano passado e acabou deixando 14 pessoas mortas.

O inquérito teria concluído que os assaltantes não utilizaram fuzis na ação, o que apontaria os policiais militares envolvidos na operação como os responsáveis pelos disparos que mataram os reféns. O laudo ainda não foi oficialmente divulgado, nem a conclusão do inquérito, mas as informações foram publicadas pelo jornal cearense Diário do Nordeste.

Entenda o Caso

A chacina do município de Milagres, cidade da Região Sul do Ceará, terminou com 14 pessoas mortas, sendo seis reféns, quatro da mesma família, completou três meses. Os bandidos tentavam assaltar dois bancos na cidade quando foram interceptados pela polícia. Segundo a Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará, a quadrilha já era investigada pelas polícias Civis de Sergipe, Bahia e Alagoas. No Ceará, o monitoramento era feito pela coordenadoria de inteligência.

Oito suspeitos de participação foram presos, entre eles duas mulheres. Armas, explosivos e veículos foram apreendidos.

Mais Lidas