OBRAS

Obras de requalificação da BR-101 afetam trânsito na Grande Recife

De acordo com o DER, a previsão de conclusão das obras é na metade de abril

Pedro Guilhermino Alves Neto
Pedro Guilhermino Alves Neto
Publicado em 25/03/2019 às 14:01
Foto: Leo Mota/JC Imagem
FOTO: Foto: Leo Mota/JC Imagem
Leitura:

Foi interditada para obras de revitalização a pista da BR-101 sentido Abreu e Lima, no trecho que vai do viaduto sobre a PE-008, conhecida como Estrada da Batalha, no KM 81,6, até o Fórum de Jaboatão dos Guararapes, no KM 80, na Região Metropolitana do Recife.

A intervenção foi feita no último sábado (23) pelo Departamento de Estradas e Rodagem (DER). De acordo com o departamento, as obras são necessárias para realizar os trabalhos de restauração e requalificação do contorno do Recife.

Os motoristas que passarem pelo local interditado precisam ficar atentos para as mudanças que já foram feitas no trecho. Quem vier da Zona Sul, com destino ao norte do estado, vai encontrar sinalização informativa com placas indicativas de trecho em obras e de redução de velocidade a 750 metros antes do desvio no KM 81,6. Nesse ponto, o tráfego segue pela pista contrária, se tornando mão dupla com faixas únicas. O fluxo só volta ao normal na altura do Fórum de Jaboatão dos Guararapes, quando os motoristas vão poder seguir no sentido Abreu e Lima, em mão única.

Já o condutor que vem no sentido contrário, da Zona Norte para a Zona Sul, vai ter disponível apenas a faixa da direita da pista para continuar o percurso até o final do desvio, próximo a Fábrica da Coca-Cola, no KM 81,6. É nesse trecho final, após o viaduto sobre a estrada da batalha, onde o tráfego volta a fluir normalmente nas duas faixas. O local também conta com sinalizações no decorrer da pista.

O serralheiro Gilvan Alexandre passa constantemente pela BR-101 e já teve vários problemas nos trechos da via. Mesmo com a lentidão das obras, a expectativa para Gilvan é que o conserto da pista possa ajudar os condutores. “O que a gente perde de peças de carro não é brincadeira. Pagamos nossos impostos e só fazemos sofrer. O da obra é o transtorno, mas se é para melhorar vai ser bom, mas se não melhorar vai ser horrível”, explicou.

De acordo com o encarregado de obras Valter Fernando, a lentidão das obras pode ser explicada pela complexidade do trabalho. “Eu trabalho com esse material e sei que placa de concreto tem que quebrar placa e demora mais do que asfalto, mas o concreto é complicado. Eles estão refazendo a base, colocando as placas de concreto por cima e depois asfaltando”, finalizou

Finalização da obra

Segundo o DER, o prazo para conclusão das obras dessa nova etapa é para a metade do mês de abril.

Mais Lidas